terça-feira, 8 de setembro de 2009

Continuam as buscas pelo bando que aterrorizou Umburanas


Joaquim Almeida da Silva Júnior, 26 anos, morto na troca de tiros na última quarta-feira, era natural de Abaré.

Mais de trinta horas depois de invadiram a cidade de Umburanas, assaltar cinco estabelecimentos, incluindo o posto do Bradesco, casas lotéricas, agência dos correios e supermercados, os acusados ainda continuam foragidos. Mas a policia recebeu novas pistas neste sábado.

A polícia mantém o cerco à quadrilha numa área de caatinga fechada entre os municípios de Mirangaba, Ourolândia, Umburanas e Campo Formoso.

Segundo moradores, os acusados teriam sido vistos pela última vez na última sexta-feira (4), por volta das 11h40mim, na zona rural do município de Mirangaba.

O Cel. PM Everaldo Mendes da Silva, Comandante do Policiamento Regional Norte, esteve na cidade de Ourolândia. Ele elogiou a ação dos policiais, ressaltando o valor do trabalho que vem sendo realizado pelas equipes comandadas pelo Major Sérgio Moisés, comandante da 24ª CIPM, e o delegado de Jacobina, Eduardo Brito, que têm acompanhando a operação.

Sobre a identificação do assaltante morto, a informação é que ele seria natural da cidade Abaré, que fica na jurisdição do Policiamento Regional Norte, comandado pelo Cel. Everaldo Mendes.

Pistas deste sábado

Depois de passarem numa fazenda próxima ao distrito de Taquarandi, onde obrigaram o proprietário a fazer comida, os acusados do arrastão na cidade de Umburanas podem estar na região de Caatinga do Moura, no município de Jacobina. Eles teriam sido vistos na manhã deste sábado, numa comunidade chamada Salinas, nas imediações daquele distrito. A polícia já chegou ao local.

Desde a última quarta-feira, quando assaltaram vários estabelecimentos comerciais em Umburanas, a polícia só conseguiu identificar apenas um dos integrantes da quadrilha, João Almeida da Silva Júnior, que foi morto em troca de tiros com os policiais no povoado de Marruais, no município de Mirangaba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As opiniões expressas nos comentários serão avaliadas pela redação, não sendo permitido ofensas, etc.