sábado, 14 de novembro de 2009

Homem detido com revolver no Alto da Maravilha


Por volta das 15h40min de sábado (14/11), enquanto fazia ronda rotineira, no Alto da Maravilha a guarnição CETO do 6º BPM, na Rua Ana Nery, abordou a pessoa de RENIVALDO DE SOUZA de alcunha (Pimenta), que estava de posse de uma arma de fogo revolver calibre 38, com 6 (seis) munições intactas além de uma arma branca do tipo peixeira, na cintura, no qual não houve reação contra a abordagem da polícia, que o conduziu ao complexo policial,sendo ouvido por Dr. Marconi Almino, delegado de plantão que o autuou em flagrante.
Nossa equipe do blog Maravilha Notícias conseguiu uma entrevista com Pimenta, e ao ser interrogado qual o motivo dele andar com duas armas ele respondeu: “Eu só ando armado para fazer minha própria segurança, sou filho de pernambucano, e pra bandido eu não me entrego não, mas não sou vagabundo não, sou trabalhador, pai de família tenho 2 (dois) filhos e minha esposa está aguardando nosso terceiro filho. Tempos atrás tive um desentendimento com ‘GUGU’, que covardemente matou um cara bom como o CÍCERO, eu também fui jurado pelo ‘GUGU’, e não vou andar de bobeira por ai não”.
Pimenta disse ter comprado à arma na feira do rolo por R$ 800,00 (oitocentos reais), e lamentava ter perdido a arma.
No momento da abordagem Pimenta tinha acabado de comprar um refrigerante e um pacote de bolacha, um doce em um estabelecimento próximo ao local onde fora abordado, que inclusive foram entregues a sua esposa.




Porte ilegal de arma de fogo de uso permitido

Art. 14. Portar, deter, adquirir, fornecer, receber, ter em depósito, transportar, ceder, ainda que gratuitamente, emprestar, remeter, empregar, manter sob guarda ou ocultar arma de fogo, acessório ou munição, de uso permitido, sem autorização e em desacordo com determinação legal ou regulamentar:

Pena – reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa.
Parágrafo único. O crime previsto neste artigo é inafiançável, salvo quando a arma de fogo estiver registrada em nome do agente.

Conta de energia pode ter custos reduzidos


Os ministérios da Fazenda e de Minas e Energia avaliam que a saída para compensar as perdas do consumidor com o erro no cálculo do reajuste de tarifas de energia será diluir o prejuízo nos próximos aumentos a serem autorizados às distribuidoras.

A ideia é conceder reajustes menores no futuro para queimar a "gordura" acumulada pelas companhias nos últimos anos com a falha na metodologia.

O TCU (Tribunal de Contas da União) calcula em R$ 7 bilhões as perdas para os consumidores entre 2002 e 2008. Técnicos envolvidos nos estudos classificam a estimativa do tribunal de "pouco confiável" e dizem que o governo ainda sabe o tamanho real do prejuízo.

Para esses técnicos, a compensação é "o caminho natural" para solucionar o caso, mas não evitará demandas na Justiça por parte dos consumidores.

OUROLÂNDIA:Morto homem acusado de matar jovem em Jacobina


André, Pinduca ou Zoinho, como queiram? O assassino do jovem Diego, que foi morto...

André de Souza Nunes, 21 anos, vulgarmente conhecido pela alcunha de “Pinduca” foi assassinado a tiros em Ourolândia na Praça José Prado Alves por volta das 18:30 horas desta sexta-feira 13 de novembro. De acordo com o Boletim de Ocorrências da Polícia Militar o crime teria sido cometido por alguns elementos a bordo de um Gol azul de placa não anotada que após o ocorrido desapareceram tomando rumo ignorado.
A Polícia foi informada do fato e ao chegar ao local encontrou o corpo de “Pinduca” já sem vida, caído em decúbito dorsal com diversas perfurações no abdômen, tórax e região temporal. “Saímos em diligência, mas não obtivemos êxito”, disse o Sargento Requião comandante da PM de Ourolândia.
Segundo informações da Polícia, “Pinduca” já havia cumprido pena na Delegacia de Jacobina assim como na capital do Estado por prática de latrocínio ocorrido na Praça da Bíblia em Jacobina quando assassinou um jovem evangélico para roubar um celular. O fato na época casou grande revolta na sociedade Jacobinense. (Por José Carlos Benigno)



Pinduca
O crime que ocorreu em 01/01/2007, quando o jovem evangélico Diego voltava da casa da namorada, após leva-la em casa das festividades de ano novo. Porém, ao passar nas proximidades da Praça da Bíblia, foi surpreendido por Pinduca (a época menor) e uma maior de prenome Marquinhos, que deram voz de assalto para levar um simples celular da vítima, não bastando a maldade desta ação, os algozes acharam por bem alvejá-lo por disparo de arma de fogo.


O jovem Diego agonizou muito até ser socorrido e quando foi conduzido para um hospital local, não recebeu o atendimento adequado, vindo a óbito.


Pinduca, inicou muito cedo no mundo do crime, antes desse fato, o mesmo já se envolveu numa tentativa de homicídio na cidade de Ourolândia, quando a época, este, um elemento conhecido como Ratinho e um terceiro, tentou contra a vida de um cidadão ourolandense, agredindo-o covardemente, deixando-o desfalecido no lixão da cidade. Tamanha era a crueldade deste indivíduo que neste crime Pinduca e seus comparsas retiraram a bateria da Kombi da vítima e com essa tentaram esmagar a sua cabeça.
Mas como diz uma passagem bíblica: “quem com ferro fere, com ferro será ferido.” “O ímpio por si só se destruirá.”

TEM FOLIA NO MEU QUINTAL

Espetáculo: TEM FOLIA NO MEU QUINTAL

Sábado e Domingo: 14 e 15 de novembro de 2009
Às 17 horas no Centro Cultural Ceciliano de Carvalho / Senhor do Bonfim
Classificação: Livre
Ingresso Meia Promocional: R$ 5,00 (todas as idades)
Venda Antecipada: Salão Marivalda

Sinopse – O espetáculo TEM FOLIA NO MEU QUINTAL... Conta a história de Dois homens que se encontram por acaso e em plena praça pública e começam a discutir por conta de um mal-entendido. Com tudo, eles percebem durante o dialogo em muitos momentos irritadiço por parte de um deles, que têm a mesma afinidade “o amor pelo circo”. Carlos (personagem feito por Nando Lemos) convida Ernesto (personagem vivido por Benedito Oliveira) a entrar na brincadeira e entregarem-se ao fantástico mundo do circo. Você é convidado(a) a viver muitas aventuras e encontros inesperados com as personagens dessa hilariante história.

A montagem é do Grupo Aroeira Cênica com direção de Benedito Oliveira e Caco Muricy; Pesquisa e roteiro: Benedito Oliveira, Caco Muricy e Nando Lemos; Figurino: Caco Muricy e Paulinho Vasconcelos; Maquiagem: Nando Lemos e Pikena Lemos; Cenário: Caco Muricy e Rodrigo Santos; Sonoplastia: Caco Muricy, Felix Oliveira e Vento; Iluminação: Maicon Vinícius; Coreografia: Coletiva; Desenho: Biro; Elenco: Benedito Oliveira, Caco Muricy, Dinho Bitencourt, Felix Oliveira, Liana Perez, Luiz, Maicon Vinicíus, Nando Lemos, Nilton Gracênio, Pikena Lemos, Rodrigo Santos, Vitória e Vitória Regina. Contra – regra: Paulinho Vasconcelos. Apoio: Secretaria de Educação e Cultura de Senhor do Bonfim; Realização: Núcleo Aroeira de Arte.

Riana de Oliveira
Coordenadora de Cultura
Senhor do Bonfim/Ba

Feira de Bonfim desocupa vias e muda a cara da cidade

A famosa feira-livre de Senhor o Bonfim, tão grande e farta como eternamente desordenada, sofreu no último dia 09 de novembro uma cirurgia radical. Tratores, caçambas, caminhões e garis da Prefeitura tiveram um encontro previsto e pacífico “porém nervoso” com feirantes da área. Centenas de barracas fixas da parte baixa da Praça Augusto Sena Gomes foram definitivamente removidas.

Foi só o começo, mas a desocupação apenas desse trecho da chamada “praça da feira” realçou mais um belo ângulo urbano no centro da cidade. “Tenho 30 anos aqui e nunca imaginei isso [a praça livre] tão largo e bonito”, disse o barraqueiro Geraldo Borba. Ele também levou suas frutas e verduras para um dos galpões apropriados ao lado do novo Mercado, que já está com a praça de alimentação ativa e começa a ser plenamente ocupado.

Roedores
No meio da tensão, o prefeito Paulo Machado atendia aos feirantes relocados. “Ninguém ficará sem seu meio de vida, mas a cidade não pode ficar congestionada”. O restante da praça também será desocupado até o Correio. Da montoeira dos restos de barracas desmanchadas fugiam ratos e baratas. “Quem sabia desses bichos por aqui!”, exclamava o também comerciante César Nascimento.

Como era
A feira tradicional das sextas e sábados, do Cruzeiro até o antigo Mercado, se expandiu. Nesses dias, começa no Cruzeiro, ocupa toda a Praça Dr. José Gonçalves e entra nas transversais, inclusive no Calçadão. Não pára nos Correios. Desce a partir daí ocupando todos os espaços, inclusive o leito das ruas. Toma toda a Praça Sena Gomes densamente e entope a principal artéria de fluxo de trânsito, a Rua Fernando da Cunha. Mas não pára aí. Pelo contrário, chega ao caos total que é o trecho de gargalo que vai da “praça da feira” até ao Mercado e Galpões.

Quem não gosta?
Ultimamente, por esse gargalo já não circulava veículo em dia nenhum. E dele também as barracas foram removidas. Tudo será estacionamento, passagem livre, área de descarga e trânsito sem transtorno. A mudança já se apresenta como surpresa para a população e feirantes. Dona Mariza Oliveira, box A-19 do galpão de frutas opinou no plural: “Estamos gostando da mudança feita pelo prefeito”. Jaqueline Vieira e Virgínia Mendonça, do mesmo galpão, se alternaram elogiando a “energia”, a “água”, o “azulejo limpo” e a “segurança”. No trecho do gargalo (conhecido como Castelo Branco), o comerciante Wellington disse que está para perder um ponto “mas essa reforma geral é mais do que boa”.

Leitor comenta caso Dudu

Infelizmente o jovem Eduardo (DUDU) veio a falecer e como sempre agora é que estão vendo que uma rede de alta tensão 13.8KV é capaz de fazer.
Mas o que me fez escrever este recado é que ultimamente estão procurando vários culpados pra tentar justificar esta fatalidade, sendo que o maior culpado é a PREFEITURA, ela (PREFEITURA) deveria colocar um engenheiro de segurança do trabalho, Engenheiro Civil ou algum órgão capaz de fiscalizar e enxergar as obras irregulares de nossa cidade.
Se observarmos a rede da COELBA é bem mais antiga que o sobrado onde houve o acidente. Agora os competentes representantes de nossa cidade, me respondam; a COELBA constrói a rede e depois tem que está passando todo o dia na rua pra ver se estão ou não construindo uma obra próxima a rede de alta tensão?
È, realmente a PREFEITURA fiscaliza, estava fazendo uma reforma em minha residência e deixei entulho na porta 01 dia, no outro dia chegou uma NOTIFICAÇÃO para que eu retirasse o entulho sendo que a reforma ainda estava em andamento, agora construções civis de nossa cidade quem tem que fiscalizar é a COELBA “COMPANHIA ELETRICA DO ESTÁDO DA BAHIA”, isso como sempre é uma palhaçada e os verdadeiros culpados onde teriam que está procurando soluções para evitar futuros desastres estão dando como sempre desculpas sem cabimento algum.

Hospital Regional de Juazeiro completa quatro meses com resultados positivos

Quatro meses depois de inaugurado, o Hospital Regional de Juazeiro (HRJ) contabiliza mais de 11.900 atendimentos, somente na emergência. No mesmo período, foram realizados 830 internações e 2.622 atendimentos ambulatoriais em diversas especialidades.

Inaugurado em julho deste ano, o HRJ integra a rede estadual de saúde e é gerenciado pelo Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip). A unidade possui 134 leitos e perfil assistencial de hospital com atendimento cirúrgico, clínico, pediátrico e de queimados.

O hospital realiza nesta sexta-feira (13) e no sábado a segunda etapa do mutirão de cirurgias, iniciado nos últimos dias 6 e 7, que viabilizou na primeira etapa 97 procedimentos, entre cirurgias de vesícula, hérnia, retirada de lipomas, de pequenos sinais e de queloides. Na segunda etapa, a previsão é de que sejam feitas 100 cirurgias. Todos os pacientes atendidos no mutirão são selecionados e submetidos a exames.

O primeiro procedimento feito no centro cirúrgico do HRJ aconteceu em setembro – uma cirurgia de vesícula que beneficiou uma paciente de 17 anos. Desde então, foram realizadas 260 cirurgias de baixa, média e alta complexidade em pacientes encaminhados por médicos da rede municipal de saúde, por meio das unidades básicas.

O HRJ ocupa uma área de sete mil metros quadrados, distribuídos em 58 leitos de clínica médica, 29 de clínica cirúrgica, 17 de pediatria, dez de UTI geral, dez para atender queimados e dez de semi-intensiva.

Inicialmente, o perfil assistencial da unidade é de hospital com atendimento cirúrgico, clínico, pediátrico e de queimados, além do Serviço de Verificação de Óbitos. Também é prestado atendimento de urgência e emergência durante 24 horas, atendimento ambulatorial, Serviço de Apoio Diagnóstico e Terapêutico, entre outros.

Dentro dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) de regionalização da assistência, o HRJ veio contribuir significativamente para desafogar os hospitais de Salvador, distante cerca de 500 quilômetros de Juazeiro.

Para a construção do hospital, a Secretaria Estadual da Saúde (Sesab) investiu cerca de R$ 26 milhões, sendo R$ 6 milhões na compra de aparelhos e equipamentos de última geração.

Além de Juazeiro, a unidade presta assistência à população dos 27 municípios da região do Baixo Médio São Francisco e de outros 28 municípios pernambucanos que compõem a primeira Rede Interestadual de Atenção à Saúde do Sistema Único de Saúde.

Sede da Diocese em Juazeiro é assaltada durante a madrugada

Ladrões hereges não tiveram pena sequer do patrimônio da Santa Igreja e, na madrugada desta sexta-feira (13), invadiram o prédio da Diocese de Juazeiro e assaltaram o local. Apesar da ousadia dos bandidos, a quantidade de dinheiro – R$ 240 – levada não foi tão grande, mas não faltou esforço por parte dos criminosos de levar tudo de valor que fosse encontrado. A polícia suspeita de que os ladrões tenham entrado pelo teto da Diocese usando uma escada. Pouco depois de adentrarem o escritório, os bandidos reviram todas as gavetas, armários e arquivos, além de arrombar um cofre na tesouraria. Eles fugiram normalmente, pois não tinha nenhum segurança no local. Nenhum dos criminosos foi encontrado e tampouco o dinheiro recuperado.

Movimento do Sem-Nada em Campo Formoso

Lendo o primeiro artigo de Daniel Muniz neste site no qual o titulo era “MST em Campo Formoso”, e fazia uma alusão entre o tão conhecido MST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra) e começava ironizado dando um novo significado para a sigla MST ficando assim “Movimento dos Sem Teto” Texto este que ele se referia o teto para os artistas da cidade manifestarem sua arte, Já que a cidade não possui um espaço publico para tal prática.

A partir daí comecei a imaginar que em Campo Formoso o que mais se destaca hoje é a quantidade desses movimentos, e para não descrever todos ou para que não crie certa aglomeração de movimentos reunirmos todos em um só movimento, o Movimento dos Sem Nada, onde dele agora fazem parte os seguintes movimentos (sem lazer, sem saúde, sem educação, sem assistência social, sem cultura, sem esporte e por fim os sem administração). Já que a cidade cada dia que passa parece estar mergulhando no caos administrativo, uma cidade sem a mínima infraestrutura, pois por onde se anda na cidade nota buracos, canos quebrados e tantas outras deficiências estruturais, o que não é exclusividade somente da sede é de todo município.

Uma cidade mal cuidada, mal amada e muito, mas muito mal administrada, pois quem tem o dever de cuidá-la, ama-la e administra-la não o faz. Então este movimento vem aqui reivindicar junto aos seus responsáveis uma solução para estes problemas que assolam nossa cidade, Queremos pedir a vocês que acabem com o nosso movimento, nos dando principalmente uma administração de verdade, que cuidem da saúde e que ela seja oferecida a nos com qualidade, que nos dê uma educação digna para que dela saia o futuro do planeta, que tenhamos lazer e esporte (para que nossos jovens e crianças não enveredem pelo caminho do mal, das drogas já que esta é uma triste realidade em Campo Formoso, nos ajudem a forma pessoa de bem para o amanhã), que tenhamos cultura, pois queremos “comida, bebida mas também queremos diversão e arte”, que se tenha realmente uma assistência social para que ampare e assista aqueles necessitados.

Em uma frase muito feliz o autor no qual não recordo o nome no momento disse a seguinte frase: “Que uma das sensações mais frustrante é desejar muito uma coisa e quando tela em posse não saber o que fazer.” E quando li esta frase só me veio à senhora prefeita que quis tanto estar ai onde se encontra e agora que ai estar não sabe o que fazer. Prefeita ainda há muito tempo, reveja seus conceitos, mude suas atitudes e nos dê um governo de qualidade. Peço-lhe encarecidamente que nos cale faça esse nosso movimento se resumir a pó. Pois já não aguentamos mais viver sem nada.

Texto enviado pelo leitor Paulo Sérgio Júnior
campo formoso