terça-feira, 27 de abril de 2010

Profissionais da educação deliberam continuidade da paralisação

A APLB-Sindicato Núcleo Ponto Novo-BA, entidade constituída pelos profissionais da Educação deste município, em assembleia extraordinaria realizada neste dia 26 de abril, dia da paralisação municipal, decidiu pela continuação da paralisação até a próxima quinta-feira (29 de abril), data em que a categoria tentará resolver com o Executivo e o Legislativo os impasses sobre o Plano de Cargos e Salários dos Servidores da Educação.
O Plano de Cargos e Salários é uma luta antiga da categoria que se acirrou nos últimos dois anos.No ano passado quando a Câmara aprovou por unanimidade o Plano e ainda elogiou a redação do mesmo pensava-se que o problema estava resolvido. O fato é que o prefeito municipal anunciou na Rádio Itapicurú FM que já havia sancionado o plano e que faria algumas alterações no que se dizia respeito ao piso salarial, o que seria no máximo quatro ou cinco artigos . Em uma reunião com a comissão do sindicato o prefeito reafirmou o que havia dito e afirmou que não mexeria nos percentuais de vantagens dos profissionais. Passado o tempo o prefeito enviou à Câmara de Vereadores um projeto com trinta artigos, que além de mexerem no salário diminui pela metade todos os percentuais de vantagens dos profissionais. Ainda garante ao Executivo Muncipal realizar contratações temporárias.
No segundo dia de paralisação, mesmo após a secretaria da educação avisar que as aulas aconteceriam de forma normal, os alunos não compareceram às escolas e esperam por um posicionamento da APLB - Sindicato sobre o retorno das aulas.
Em oficio encaminhado ao Gestor e à Secretaria de Educação os profissionais se colocam a disposição para repor os dias de paralisação para não atrapalhar o calendário escolar, desde que o Executivo não corte os dias parados, como afirmou na emissora local, classificando a paralisação como um movimento "político, inoportuno e descabido".

Aplb - Sindicato Núcleo Ponto Novo - BA