quinta-feira, 4 de novembro de 2010

HOMEM DO CAMPO BONFINENSE ABANDONADO


Caros amigos, cuidados com o interesse político, pois no decorrer desses últimos anos passaram governos, partidos e governantes, mas a situação não muda. Bonfim contínua sem investimentos concretos, empregos e consequentemente renda, ou seja, estamos sempre dependentes dos aposentados. No site da Prefeitura na parte econômica esta inserida ”Entre as principais atividades da economia estão o comércio, pecuária, extração mineral e a agricultura”.
E verdade! questões clássicas da nossa região que já foram base da nossa economia como a pecuária e a agricultura foram esquecidas. Lembro-me que o governo municipal assinou o termo de ajustamento de conduta (TACs), objetivando a reforma do matadouro no dia 02/05/2006, mas passaram os anos e no dia 03/07/2008 o matadouro foi fechado de acordo com o laudo de inspeção realizado pela ADAB solicitado pelo ministério público que mostrava inadequação dos estabelecimentos às exigências sanitárias.
Ninguém tomou providência.
Cadê a empresa que ganhou a licitação?
Não existe prazo determinado para inicio?
Porque não abre outra licitação?
A instrução normativa nº 51 de 18/09/2002 regulamentos técnicos de produção e qualidade do leite, já tinha sido avisada logo após o fechamento do matadouro que seria o próximo alvo da ADAB.
Ninguém tomou providência.
Enquanto isso os agricultores familiares sofrem sem ter onde comercializar seus animais e produtos, pois uma cidade como Bonfim não possui um centro de comercialização de animais. O único lugar é improvisado na beira do canal da malaria, perto do alto do cigano. Por outro lado todas as cidades vizinhas já possuem esse centro de comercialização.
Ficamos reféns de vender nossos animais com preço inferior ao de mercado a atravessadores ou para o abate clandestino, no caso dos atravessadores a carne retorna a nossa cidade com preços exorbitantes.
Quando não investe mal, exemplo o elefante branco da pocilga do Distrito de Igara, no qual foi construído em local distante tornando-se inapropriado para criação de suínos. O município não possui uma casa do mel para beneficiamento e envasamento.
A produção de hortaliças e frutas da nossa região (barroca, mulungum e etc.) não tem acompanhamento técnico.
Cadê o Sindicato dos Produtores Rurais de Senhor da Bonfim? “Sindicato Elitista”, ou seja, sindicato em favorecimento de minorias, membros da aristocracia, classe dominante com grande poder aquisitivo. Ah! Os associados não vendem p/ o abate e não comercializam leite. Só vende genética, beee !!! O sindicato nunca se mobilizou em relação ao matador, laticínio e Assistência Técnica para os produtores.
Vai chegar à hora dos lixões, onde também já foi assinado um (TACs). Mas eles acham que os lixões não trazem conseqüência.
Ninguém vai tomar providência?
O problema já sabe de onde vem, agora queremos é solução.
Agora se souberem, respondam Deputado Carlos Brasileiro e Prefeito Paulo Machado?


Grato;
José Duarte