segunda-feira, 22 de março de 2010

Dezoito anos sem Gonzagão, o Rei do Baião

. . . Saudade inté que

assim é ruim . . .

Luiz Gonzaga do Nascimento é filho de Januário dos Santos e de Ana Batista de Jesus (Santana). Nasceu na Fazenda Caiçara, município de Exu/PE, no dia 13 de dezembro de 1912.

Certa vez... Januário, que era consertador de sanfonas e sanfoneiro também, pediu menino Gonzaga para ajudá-lo na afinação de um instrumento e percebeu que pra conserto e roça o menino não levava jeito, mas pra sanfonar... Daí então passou a levar o filho Gonzaga para se revezar com ele nos bailes. E foi a conta.

Gonzaga tinha 12 anos em 1924, quando o riacho do Brígida transbordou e encheu de água a casa de Januário. A família se mudou para a Fazenda Várzea Grande, no povoado de Araripe.

Sua primeira sanfona foi comprada com a ajuda do cel. Manoel Aires numa loja de Ouricuri/PE, em 1926. Nesse ano, dono de um fole, Gonzaga começou a tocar sem a companhia do pai e a se tornar um sanfoneiro profissional.

Aprendeu a ler e escrever ao participar de um grupo de escoteiros em Exu. Mas como precisava ajudar os pais na roça, teve que voltar para casa.

A iniciação sexual de Luiz Gonzaga foi com uma prostituta da região chamada “Maria dos Lajes”, o que logo lhe custou uma blenorragia, tratada pela mãe, Santana, com remédios caseiros.

Primeiro grande amor de Gonzaga, ele mesmo declarou, foi uma moça chamada Nazarena, que pertencia à família Olindo, branca e importante na cidade de Exu.



Deu zebra O pai da moça, seu Raimundo, quando soube do namoro ficou furioso. Disse que não queria sua filha namorando com um sanfoneirinho sem futuro e, ainda por cima, negro. Gonzaga ficou sabendo e num sábado de feira foi tirar satisfações com o velho. Tomou uma lapada de cana, comprou uma faca pequena e encarou seu Raimundo. Percebendo que Gonzaga estava meio bêbado, desconversou e contou o atrevimento do negrinho para Santana. Ao chegar em casa, Luiz tomou uma baita surra da mãe.

A surra doeu e Gonzaga resolveu sair de casa. Disse aos pais que ia tocar no interior do Ceará e, com a ajuda do tangedor de gado José de Elvira, foi s’imbora pro Crato. Chegando lá, separou-se do amigo, vendeu a sanfona e em julho de 1930 foi pra Fortaleza.

Gonzaga mentiu a idade A lei só permitia alistamento no Exército com 21 anos, ele faria 18 anos em dezembro, mas, como não exigiram a certidão, ele entrou no 23º Batalhão de Caçadores e já no mês seguinte (agosto) estava participando da Revolução de 30, no interior da Paraíba.

Tomaram-lhe a musa Em dezembro de 1931, o Exército transferiu Gonzaga para o Rio de Janeiro e em agosto de 1932 para Belo Horizonte, onde integrou o 12º Regimento de Infantaria. Aí ficou sabendo que Nazarena, sua paixão de Exu, havia se casado.

Corneta e “Bico de Aço” Em janeiro de 1933, Gonzaga passou em concurso para corneteiro. Adquiriu noções de harmonia, aprendeu a tocar corneta e foi elevado a tambor-corneteiro de 1ª classe e recebeu o apelido de Bico de Aço.

Violão e Caymmi Durante o serviço militar, Gonzaga aprendeu a tocar violão, mas não tomou gosto pelo instrumento. Em 1936 era ouvinte da Rádio Tupi e admirava um baiano que começava a fazer sucesso: Dorival Caymmi.

Sanfona de novo Ainda em 1936 conheceu um colega soldado que tinha uma sanfona e tomou gosto novamente pelo instrumento. Pediu a Carlos Alemão, fabricante de sanfonas, que lhe fizesse uma. Três meses depois recebeu a encomenda com 48 baixos.

O primeiro palco de verdade! Passou a tocar nas festas de Juiz de Fora e em 1937 foi para Ouro Fino. Nessa cidade um advogado de nome Raul Apocalipse, organizador de espetáculos chamou Gonzaga para tocar no clube Éden . Foi a primeira vez que o exuense cantou num palco de verdade. Tocava músicas de Almirante, Antenógenes Silva e Augusto Calheiros.

Novo endereço pro pé-de-serra Desde então, o seu nome ficou composto e conhecido como Luiz Gonzaga. Entrou na década de 1940 com a fama de sanfoneiro, cantador e intérprete dos melhores. Popularizou ritmos como o baião e os que são da família: como o xote, o xaxado e outros que antes moravam apenas nos pés-de-serras do Brasil rural.

A obra faz o ícone Nos anos 50, Luiz Gonzaga foi sucesso total. Nos anos 60 também. Nem o rock’n’roll abalou o prestígio de suas toadas, de sua sanfona, da sua voz e do dom musical de Luiz Gonzaga. Os anos 70 confirmaram a razão à velha percepção do pai Januário: o menino leva jeito pra sanfonar. E os anos 80 foram adiante: fizeram de Gonzagão um ícone nacional.

Internamento e quase-divórcio Em 1989, já bastante doente, Gonzaga ainda tinha na agenda vários shows para o São João daquele ano. No dia 21 de junho o velho Lua foi internado no Hospital Santa Joana, no Recife. No dia 16 de julho, a pedido da família, não aconteceu o divórcio entre Gonzaga e Helena, pedido por ele alegando maus-tratos.

A morte não mata o mito Em 2 de agosto de 1989 Luiz Gonzaga faleceu no Hospital Santa Joana. Dizem as enfermeiras que ele sentia tantas dores, que muitas vezes soltava gemidos que mais pareciam aboios, aquelas toadas cantadas pelos vaqueiros em tom de lamento. No seu enterro, a música mais cantada foi Nem se despediu de mim.

Prefeito diz em programa de rádio que não tem medo de cobrar impostos

Dialogando com ouvintes na última edição do programa radiofônico semanal “A Voz da Nossa Gente”, o prefeito Paulo Machado exaltou esse modo direto de todas as sextas-feiras prestar contas à população. “Aqui é assim: ouvindo as pessoas e construindo a cidadania”. Salientando temas que fazem parte do seu programa de governo, como dar condições para que as pessoas continuem trabalhando no que sabem (é o caso de magarefes e feirantes) e que não haja privilégio para uns pagarem os seus impostos e outros não (caso de contribuintes que entram na dívida ativa do município).

Abatedouro de caprinos

Uma das duas suas principais reivindicações, para o município e para a região: “Precisamos de um abatedouro de caprinos e ovinos para atender a cerca de 50 desses animais de pequeno porte por dia, em Senhor do Bonfim, e já tenho o projeto”. Este apelo o prefeito fez no dia 15 de março, na Câmara Municipal, com grande destaque, ao secretário de Estado, Edmon Lucas, no encontro deste com prefeitos da região. Naquele momento, o Dr. Edmon Lucas acenou com real possibilidade de atender ao pedido: Preciso apenas conhecer o projeto de Paulo Machado, se ele estiver compatível aos recursos técnicos, é possível acolhermos, sim. É viável.

Cobrança sem medo

“Não tenho medo algum de dizer que é injusto que a maioria da população pague os seus impostos enquanto uma parte deixe de cumprir com estas obrigações. O dever do administrador público é aplicar a lei para todos os munícipes. Também não posso ficar somente reclamando. Impostos atrasados não posso calçar ruas, não posso tratar do desenvolvimento geral do município. Quero realizar tudo que for possível, em todos os setores, seja calçamento,seja desenvolvimento geral. Já autorizei o nosso setor Jurídico a fazer a cobrança da dívida ativa por via judicial. O prefeito que não agir assim não será perdoado pela população”, afirmou Machado.

Prefeitura entrega material esportivo e incentiva atletas de modalidades olímpicas

A entrega de material esportivo ocorrida na sexta-feira (19) em solenidade com a presença do prefeito Paulo Machado e do superintendente da Sudesb, Raimundo Nonato Tavares da Silva (Bobô), responsáveis pelo convênio, beneficia 24 escolinhas de Senhor do Bonfim e será útil para a formação de jovens atletas praticantes de cinco modalidades.

A quadra coberta, integrante do Complexo Esportivo Semi-olímpico José Amílcar, recebeu desde as 15 horas personagens da relação social e administrativa do governo municipal, do ex craque Bobô e, principalmente, os representantes dos grupos organizados em escolas de práticas esportivas.

Alguns milhões – A presença na mesa e no microfone de Wugner, bonfinense campeão europeu de 2009, de Paulo Muricy organizador bem sucedido do bom basquete bonfinense elevou o tom desportivo dos discursos de Paulo Machado, Carlos Brasileiro e do próprio Bobô:

“A iluminação do Estádio Pedro Amorim é das melhores da Bahia”;
“A extensão das arquibancadas e a drenagem do Pedro Amorim”;
“O ginásio Paulo Braga foi recuperado após oito anos de abandono”
“Vem aí a Pista de Skate no Parque da Cidade”,
“A entrega destes materiais esportivos vão para 1200 jovens”,
“Já temos quatro quadras iluminadas em Bonfim”,
“Mais três quadras poliesportivas serão iluminadas em 2010”.
” “Em 7/4 terá licitação para a Praça de Convivência, na Igara”,

Slogans

Bobô atribuiu todo o seu trabalho na Sudesb à determinação do excelente governador Wagner; ao exemplo do presidente Lula; à responsabilidade com as políticas públicas do novo Brasil que ressurge de épocas cinzentas e quer brilhar na Copa de 2014, nas Olimpíadas de 2016 e na moralidade de três slogans que respeitam o povo: de um Brasil que é um país de todos, de um estado que é a Bahia terra de todos nós e de um município que cuida de sua gente. “Eu me dedico a atender todo o estado”, disse. “Visito e faço convênio com qualquer município cuja população tem real carência e prioridade, independente de quem ou qual partido o governa”.

Seu velho amigo Bel, outros vereadores (Ivan Barbosa, Gustavo Miranda, Carlos de Tijuaçu) ainda mantinham sorrisos abertos quando o diretor municipal de Esportes, Renilson Tavares e sua equipe começaram a entregar kits com várias combinações de material esportivo. Coletes, uniformes, cones, shorts, apitos, bombas pitos, redes de futebol, redes de quadra e outros materiais distribuídos para esportistas masculinos e femininos. Doze escolinha de futebol de campo, sete escolinhas de futsal, duas de handbol, uma de basquetebol, uma de jiu-jitsu e uma de voleibol foram alvo do convênio.


Governo Cuidando da Nossa Gente
Assessoria de Comunicação Social

Jovem mata a própria mãe em Uauá com golpe de foice!

Um jovem de 25 anos conhecido como Gilmar dos Santos matou a mãe nas proximidades da fazenda algodões, município de Uauá neste domingo (21), por volta das 6 horas. O jovem sofria com problemas de depressão e teria matado a mãe em um desses surtos. O rapaz já apresentava problemas após uma passagem pela cidade de São Paulo. A própria mãe foi buscá-lo depois de ter conhecimento de alguns episódios envolvendo o agora homicida. A senhora Maria Lúcia dos Santos (55), foi atingida por um golpe de foice que seria destinado ao pai. A mãe tomou a frente e foi atingida mortalmente.

Uma funcionária do Hospital municipal de Uauá recebeu pedido de socorro por voltas 5 horas e tratou de comunicar à policia que se deslocou ao local e confirmou a tragédia.

Destaca-se o surto psicótico como um transtorno que tem se mostrado bastante presente na população jovem, ele origina-se devido a uma carga muito grande de stress ou de tensão, a pessoa que surta perde completamente a noção do mundo real, é comum que ela ouça vozes, veja coisas, faça coisas completamente fora do habito. Em meio a uma crise a pessoa pode ficar agressiva não é regra, essas crises duram horas ou no máximo semanas caso não passe não será mais um surto, por ser é uma desorganização mental grave é preciso que a família ao notar algum comportamento estranho que sinalize algum tipo de crise procure um profissional capacitado como psicólogo ou psiquiatra. Quanto mais cedo diagnosticado esse quadro mais chances de evitar que um novo surto possa ocorrer.

Portanto as doenças psicológicas do novo século estão relacionadas com situações de dificuldade de lidar com as pressões do dia-a-dia, como problemas financeiros, problemas
familiares, problemas no trabalho, etc. No entanto, constatou-se que existem algumas estratégias para evitá-la, entre muitas, uma alimentação saudável, o exercício físico, o descanso mental e a orientação médica. É possível então evitar esses tipos de doenças já dita no texto, o que não devemos fazer é tornar um pequeno problema em um grande problema e organizar melhor a nossa vida para não sermos vitimas do stress que acarretam tantos males.