terça-feira, 23 de março de 2010

Distrito de Tijuaçu recebe visita do Secretário de Desenvolvimento e Combate Pobreza


A Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza, do governo Jaques Wagner, firmou convênio com a Prefeitura de Senhor do Bonfim, com a interveniência da Associação Agropastoril Quilombola do distrito de Tijuaçu e Adjacências, para implementar o Programa de Desenvolvimento Sustentável dos Quilombolas da localidade Alto Bonito.


Os recursos aplicados pela SEDES e prefeitura de Bonfim perfazem um investimento total de R$ 812.452,00 (Oitocentos e doze mil e quatrocentos e cinqüenta e dois reais).


O Governo do estado investe recursos da ordem de R$ 772.201,00 (Setecentos e setenta e dois mil duzentos e um reais). O valor da contrapartida da Prefeitura Municipal de Senhor do Bonfim é de R$ 40.251,00 (Quarenta mil e duzentos e cinqüenta e um reais),


Nesta terça-feira, 23 de março, o distrito recebe uma visita do secretário Valmir Assunção que acompanhado do prefeito Paulo Machado e equipe visitam as obras, que tem como objetivo principal a promoção da melhoria das condições de vida para os remanescentes quilombolas da Fazenda Alto Bonito, onde vivem 37 famílias em situação de extrema pobreza, vivendo em condições sub-humanas de moradia, em situação de insegurança alimentar e passando necessidade para a sobrevivência.


O Programa de Desenvolvimento Sustentável dos Quilombolas do Alto Bonito é um investimento pioneiro desenvolvido com uma Comunidade Quilombola na Bahia, voltado para a inclusão social e produtiva das famílias. Trata-se de infra-estrutura com a construção de 25 (vinte e cinco) casas, reforma de 8 (oito) moradias, 05 (cinco) unidades sanitárias, construção de um Centro de Cultura (Múltiplo uso), construção de 36 (trinta e seis) cisternas de captação de água de chuva, de inversões no segmento produtivo, oportunizando a geração de trabalho e renda para as famílias quilombolas implantando 37 (trinta e sete) núcleos produtivos para a exploração da avicultura; na exploração agrícola com 37 (trinta e sete) hortas comunitárias e lavoura de subsistência para garantir a segurança alimentar no auto consumo e comercialização do excedente; distribuição de mudas frutíferas para a formação de um pomar doméstico e de sementes de feijão e milho, além de capacitação tecnológica e assistência técnica continuada.


Governo Cuidando da Nossa Gente
Assessoria de Comunicação