terça-feira, 15 de junho de 2010

SÃO JOÃO: Saúde capacita contra DST e vai disseminar 150 mil camisinhas

Diante da necessidade de reduzir a incidência das DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis), mais de 200 funcionários da Secretaria Municipal de Saúde, dentre eles 179 Agentes Comunitários (ACS), receberam preparação durante encontro de dois turnos, ontem (dia 14), no auditório da Câmara Municipal, para uma atuação competente e efetiva na distribuição de mais de 150 mil camisinhas durante os festejos na Capital baiana do forró.

O foro de discussão, que envolveu médicos, enfermeiros e técnicos de vários níveis, foi organizado pelo CTA, fez avaliações gerais e pontuais do quadro sanitário histórico no município de Senhor do Bonfim e região. Um dos focos foi o comportamento social “muitas vezes promíscuo” em festejos que envolvem multidões. Toda a capacitação foi conduzida para a aplicação de metodologias e formas de prevenção pela equipe de saúde do município no São João 2010.

Locais Áreas municipais da festa junina, setores sociais, pontos de concentração de visitantes motéis, postos de saúde e inclusive setores residências, espaços comerciais e residenciais foram objeto de estudo, direcionamento da presença de agentes de saúde campanha.

Governo Cuidando da Nossa Gente
Assessoria de Comunicação

Flagra do dia


Jumento vira lata pastando livremente as margens da Rodovia Lomanto Junior BR 407, dia 14 de junho.

Comerciante foram apresentados no complexo quando comercializavam carne exposta


Por volta das 08h20min dessa terça-feira (15/06), a polícia civil da 19ª apresentou no complexo policial, quatro homens vendedores de carne de caprino.
Eles estavam com a mercadoria exposta de maneira não compatível com as normas de comercialização, onde só saíram mediante o pagamento de fiança.

UMBURANAS: Suposto terremoto assusta moradores


Rachaduras teriam sido provocadas por um tremor de terra

Um tremor de terra no município de Umburanas, localizada na Chapada Diamantina, na Bahia, assustou os moradores na madrugada desta segunda-feira, 14. Ninguém ficou ferido, mas o abalo provocou rachaduras nas paredes e em forros de gesso das residências.
O assessor de comunicação da prefeitura da cidade, Anastácio da Silva, disse que ouviu um barulho em sua casa por volta das 3h e chamou a polícia, pensando se tratar de um possível arrombamento à sua casa. Quando os policiais chegaram, constataram que não havia ninguém, e um segundo abalo aconteceu. "Pecebemos que era um terremoto no segundo estrondo. Parecia um som de explosão e a terra estremeceu", contou Anastácio.
Anastácio afirmou também que moradores da cidade se assustaram com o tremor, mas que ninguém ficou ferido. "Ninguém se machucou, apenas as paredes de algumas residências racharam. Nunca tivemos um abalo antes", comentou.
A prefeitura entrou em contato com técnicos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), mas não houve a confirmação se realmente a terra tremeu em Umburanas. De acordo com o assessor de comunicação, outro contato será feito com a universidade para saber se foi registrado o abalo, apesar de um técnico da UFRN ter afirmado que as características do ocorrido são de um terremoto.

CAPIM GROSSO: Presos realizam motim, mas rebelião é controlada pela PM

Capim Grosso viveu nessa segunda-feira mais um dia tenso na área da segurança pública. No final da tarde, um grupo de presos se rebelou contra as péssimas condições da cadeia pública daquele município. Eles também reivindicavam a modificação no sistema de visitas, verificação de penas e mais tempo para banho de sol.

No motim, os presos atearam fogo em incendiaram colchonetes e atearam fogo também em objetos pessoais, como roupas e outros utensílios.

Além da Polícia Civil, sob o comando do delegado Kleber Azevedo, o delegado titular de Jacobina, Eduardo Brito, agentes, policiais militares da 24 CIPM e Policiais Rodoviários Federais estiveram na local na tentativa de controlar a rebelião.

O motim chegou ao final depois de negociações comandadas pelo Tenente Juliano Procópio, da PM de Jacobina, que intermediou a transferência de alguns presos para o Complexo Policial de Jacobina.

Cansanção: três assaltantes tombam mortos depois de confronto com policiais


Três assaltantes foram mortos por volta das 15h40 desta segunda-feira (14) na zona rural de Cansanção, ao se confrontarem com as policias civil e militar, depois de tomarem de assalto uma Parati de um produtor rural. A policia civil coordenada pelo delegado Carlos Botelho, havia saído para a comunidade de Cacimbas, com objetivo de recuperar uma moto YBR que foi tomada de assalto, depois de realizar diligências não obtiveram êxito, e ao retornarem por outra estrada de acesso ao povoado de São Domingos, depararam com a Parati que vinha em alta velocidade, até aquele momento a equipe da policia civil não sabia que o veículo era roubado e que teria um grupo armado.
Os agentes ao perceberem a alta velocidade passaram a se preocupar com a possível colisão, e, precavido, o motorista da viatura girou o volante para a direita, o condutor da Parati puxou sentido contrário, o carro rodou e atingiu o pára-lama da viatura e jogaram o veículo contra um barranco. Os três homens aramados desceram atirando, segundo relato do livro da policia, e acertaram a lateral e o pára-brisa traseiro da viatura, foi quando os policiais revidaram, e acertou no braço de um deles que mesmo assim fugiram pelo matagal.
O trabalho conjunto das policias civil e militar é constante e sempre estão irmanadas quando acontece a solicitação de ambas as partes, eis que a ocasião havia necessidade para tentar capturar os assaltantes, foi quando os agentes civis solicitaram a presença da guarnição da PM sob o comando do Tenente Neymar de Castro, que se deslocou até o local, a cerca de 10 km do centro da cidade. Com a chegada do reforço, civis e militares entraram no matagal e avistaram os marginais, quando iniciou uma nova troca de tiros e os três acabaram morrendo no local. Com o grupo, os policiais encontraram um revólver calibre 32, com três projéteis intactos e três deflagrados e duas carabinas de fabricação caseira. Os mortos foram identificados como: Edmar de Jesus Silva, 21 anos, (centro) ele que dirigia um veículo em fuga, Ivo Monteiro da Silva, 61 anos (canto direito), e José Lima dos Santos, 33, (de preto).


Quando os policiais retornavam para a cidade conduzindo os corpos dos assaltantes, ouviram gritos de uma pessoa dentro de uma roça, quando avistaram um homem amarrado ao pé de ouricuri, a guarnição foi até o local e constatou que se tratava do proprietário da Parati, identificado por Lucas Almeida de Andrade.