domingo, 20 de junho de 2010

“Forró Campeão” no Campo Clube fez ensaio geral dos servidores para o São João tradição

No embalo dos 120 baixos da sanfona de Tião (que diz ser o maior sanfoneiro do mundo), dos seus indefectíveis zabumbeiro e trianguleiro e –“prá não dizer que não falou de flores” – de uma guitarra elétrica, o “Forró campeão” tomou conta do Campo Clube na noite de ontem (18). A festa patrocinada pela dupla Prefeitura e Direc-28 começou com som mecânico, esquentou, se encheu de funcionários forrozeiros do município e do estado e explodiu na euforia conterrânea.

“Que veio fazer aqui Nivaldo (do Acordeon)? “Eu moro perto e não agüento ver barulho de sanfona” – respondeu o grande músico bonfinense.

Assim como ele, o ex-prefeito Carlos Brasileiro, a esposa Fátima Brasileiro (secretária de Assistência Social) também não resistiram. Descoberto como cantor de forró desde a semana passada, num forró de interior, o prefeito Paulo Machado, não resistiu ao “canta, canta, canta” e foi ao palco: “Olha pro céu, meu amor / Vê como ele está lindo / Olha pra’quele balão multicor / Como no céu vai sumindo / Foi numa noite, igual a esta ...”. Até o Tião aplaudiu.
Professores, à frente Rita Braz, estavam em todos os espaços. Kadu, Maria José Canário. Aliás, de todas as secretarias e setores da administração municipal houve gente no forró. Entre outros secretários presentes, Oldonízio Machado (Finanças), Raimundo Freitas (Agricultura), Andreilton Barbosa (Meio Ambiente), Gorete Braz e Alzeneide Nunes (Infraestrutura). “Esta sendo uma festa realmente nossa”, como Jairon classificou a noitada. Luiz Bamberg (Comunicação) bem acompanhado, Carlos de Tijuaçu (parlamentar) e família completa; Cristiane Maia xaxado (“forró pra ninguém botar defeito”) marcando xaxado no centro do salão. Mesas lotadas e dança caipira na pista central. Alcione (Gabinete) segurando o par.
Toldos estendidos na área interna e decoração junina em verde amarelo, como o momento de Copa do Mundo sugere, deram alternativa de ambiente e propriedade à diversão. A tenda do Edi serviu doses esdrúxulas (catupiri, viagra, lua de mel, chá do amor, caipirosca, xoxota, véu de noiva, rabo de foguete, nevada, capeta, ânimo) porém de sabor junino. Balcão de cerveja e mesa com licores e iguarias (beiju, derivados de milho, amendoim...). Chapéus de palha e fantasias ajudaram a fazer do “Forro Campeão” um ensaio geral para as jornadas seguintes, as que há mais de 100 anos consagram o tradicional São João de Senhor do Bonfim.

Governo Cuidando da Nossa Gente
Assessoria de Comunicação Social