sexta-feira, 5 de novembro de 2010

SALÁRIO MÍNIMO DEVE FICAR ENTRE R$ 560 E R$ 570

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, disse nessa quinta-feira (4) que o salário mínimo deve ficar em 2011 entre R$ 560 e R$ 570. De acordo com o G1, a assessoria do ministro afirmou que pode ser possível um reajuste que se aproxime dos R$ 580 reivindicados pelos sindicatos, pois o aumento real de 74% do salário mínimo no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva impulsionou a economia brasileira, quando gerou renda para a população. Mesmo com a afirmação de aumento, foi negada a proposta do ex-candidato à presidência pelo PSDB, José Serra, de aumentar o mínimo para R$ 600 a partir de janeiro de 2011.

Concurso para professor da rede estadual tem inscrições prorrogadas

Foram prorrogadas até o dia 14 de novembro as inscrições do concurso público para professor da rede estadual de ensino da Bahia. As vagas são para 20 horas semanais, e a remuneração inicial é de R$ 858,32, com perspectivas de progressão ao longo da carreira. O concurso oferece 3.200 vagas na capital e demais municípios baianos para todas as disciplinas (Educação Física, Artes, Língua Portuguesa, Inglês, Espanhol, Matemática, Geografia, História, Filosofia, Sociologia, Biologia, Química e Física). As inscrições devem ser feitas no site do Cespe/Universidade de Brasília (http://www.cespe.unb.br/) até as 23h59 do dia 14 (horário de Brasília). Para participar é necessário ter diploma devidamente registrado de conclusão de curso superior de licenciatura plena específica para a disciplina à qual está concorrendo. Até esta quinta-feira, foram inscritos cerca de 30 mil candidatos, e a expectativa é que 40 mil professores participem do concurso.

A Tarde

INDIGNAÇÃO COM O TAL “MÉDICO DO SAMU”

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU é um serviço de atendimento médico, utilizado em casos de emergência. É oferecido pelo governo federal brasileiro, em parceria com governos estaduais e prefeituras, com a finalidade de prover o atendimento pré-hospitalar à população [¹].

Pois bem, a definição é bem contraditória ao fato ocorrido com minha mãe no entardecer da segunda-feira (01/11/2010). Por algum motivo ela passou mal, sofrendo fortes dores de cabeça, calafrios, falta de ar e dois desmaios contínuos. Eu como filho já estava desesperado e o que me veio na cabeça foi ligar para o SAMU ir socorrê-la... Fiz todo o procedimento explicando ao atendente o que passará no momento e fui direcionado ao “médico do SAMU”. Expliquei-lhe a situação e a resposta que tive era que deveria aguardar, pois para ele, não havia necessidade do serviço ser deslocado até a residência.

Como assim? Existe uma seleção dos fatos que ocorrem? Tudo bem, é fato que em muitos casos podemos resolver de alguma outra forma, mas o que tava acontecendo não, afinal, a dor que ela estava sentindo não desejo para ninguém!

O atendimento foi recusado pelo médico, que se tratando de um profissional da saúde, deveria se preocupar um pouco mais com a população e não fazer qualquer tipo seleção aleatoriamente, como me parece acontecer em muitas solicitações. Devo ressaltar o seu despreparo ao lidar com uma situação desesperadora, aonde foi totalmente hostil e mal-educado ao telefone.

Utiliza a definição “MÉDICO DO SAMU”, porque ele não quis se identificar quando perguntei o seu nome. – Para você, sou “médico do SAMU”.
Fiquei com aquilo na cabeça e pensando no número de pessoas que com certeza já passaram pela mesma situação resolvi fazer a denúncia. Afinal, o pau que dá em Francisco, poderá não dar em Chico... Odeio qualquer tipo de discriminação, falta de ética e descompromisso!

Tentei com alguns contatos saber quem estava no plantão naquele dia e horário, mas até o presente momento não consegui o nome. Caso venha tê-lo, postarei, pois ele pagará pela sua hostilidade.

Ângelo Murilo Bartilotti.

Zona Azul será implantada para desafogar e humanizar o trânsito de Senhor do Bonfim


Próximo de implantar o sistema de Zona Azul na cidade, o Governo Municipal de Senhor do Bonfim promoveu na manhã de hoje, no auditório da Câmara de Vereadores, a Audiência Pública que avaliou todo o conteúdo do Plano de Desenvolvimento da Mobilidade Municipal. A implantação de zonas azuis em área urbanas está integrada ao Sistema Orgânico de Transportes Públicos de todo o município, que também incorpora um Projeto de Trânsito.

O urbanista e arquiteto, Dr. Carlos Alberto Querino e Silva, analista de sistemas e principal responsável pelo detalhamento da Zona Azul demonstrou como o novo modelo está fadado “a humanizar o trânsito e favorecer o desenvolvimento de todos os segmentos da economia municipal nos seus diversos setores”. O Dr. Querino, que desde 2008 levanta históricos de Senhor do Bonfim, mencionou seus estudos sobre as funções da ferrovia, os projetos rodoviários BR e BA, seus atendimentos, volumes de tráfego, origem/destino dos transportes urbanas e rurais, para justificar o modelo de projeto proposto para o município.

Solução – O projeto apresentado, embora toda a ênfase dada às zonas azuis, prevê o uso de 70 veículos para contemplar todo o município com 34 linhas de transportes, interligando a sede, os distritos e povoados. Nos mapas exibidos, o Dr. Querino (também examinador nacional da Qualidade Nacional de Transportes Públicos) apontou lugares de aglomeração ou de demanda pública, tal o Hospital Regional, como pontos obrigatórios de circulação do sistema municipal de transporte que deverá surgir. “Nenhum bairro pode ficar sem linha, bem assim nenhuma área crítica de estacionamento ou descarga deve ficar sem uma solução, para o bem de todos”.

Quem tem carro sabe – A interlocução com o auditório, realizada também pelo Secretário de Administração George Dionísio e José Luiz Lucas (DMTrans), tanto eliminou dúvida como recebeu boas sugestões. Uma delas veio do empresário Edmilsom Alves dos Santos (da Decalk): “Vejo a implantação da Zona Azul com bom olhos, desde que realmente haja disciplina e ordenação, principalmente pela fiscalização, e que seja discutida com a sociedade, para evitar problemas futuros. É necessário, já que o trânsito de Bonfim está muito congestionado e este projeto está vindo em boa hora. Quem tem carro sabe e que não tem sabe também”.

Frases – Representantes do Projeto ao responderem dúvidas usaram as expressões seguintes: “A idéia da Zona Azul é simplesmente a de geração de vagas”; “Mas também incorpora valores estéticos à cidade”; “Elimina conflitos de estacionamento”; “Organiza a logística de distribuição de bens”; “Reduz o tempo de circulação dos veículos no trânsito”; “Onde existe Zona Azul, um dos efeitos benéficos é que no local o furto cai a zero”; “Existe tarifação, sim, mas deverá ser irrisória, porque a Prefeitura não objetiva lucrar com esse serviço”; “Senhor do Bonfim é das primeiras da Bahia a implantar a Zona Azul”.

Espaços – O prefeito Paulo Machado ressaltou a importância da Audiência Pública e o valor dos planos: Não somos de tomar decisões isoladas. É princípio e virtude do nosso governo escutar a opinião da sociedade como um todo, e nesse particular principalmente a opinião dos comerciantes locais. É como poderemos garantir a criação de vias circulares e alternativas, determinações de espaços de circulações de ônibus, carga e descarga, etc. Enfim, uma política de trânsito clara e objetiva.

O plano geral inclui, nos seus aspectos culturais, o Projeto Monte Tabor como ponto a ser privilegiado. A sugestão foi originada pelo Prefeito Paulo Machado, com base nas potencialidades históricas, ecológicas, religiosas, culturais e turísticas que repousam na tradicionalidade do povoado. O projeto prevê detalhes coerentes com a estratégia de desenvolvimento dos espaços municipais.

Entre os presentes – Ivan Souza Costa UNEB; José Jorge (Associação dos Feirantes), Carlos Alberto (Coord. Detran/BA), vice- prefeito Aurélio Soares; vereador e comerciante Elmo Nascimento (Campo Formoso), vereadores Gerivaldo Sampaio e João Carlos Bernardes; Gidalberto Silva (Comandante da PRF); Secretários Municipais Raimundo Freitas (Agricultura) e Silvana Ozelina (Integração); José Gonçalves (Relações Institucionais) e representantes da sociedade civil.

ASCOM - BONFIM