quarta-feira, 30 de março de 2011

O sertão é muito mais forte do que vocês pensam


Ser nordestino, “cabra da peste”, aboiador, tomador de pinga, criador de bode, andar nos botecos ou tomar uma debaixo do umbuzeiro. Como a cultura nordestina é ampla, grandiosa, rica e incomparável.
Lembro-me quando era criança, nas manhãs de domingos gostava de ir à roça dos meus avôs. Lá conhecia um senhor chamado Seu Manel, cabra gente fina, simples e humilde. Adorava fumar um tal de “pacú” – um cigarro feito de papel e fumo –, enquanto olhava os seus bodes, cabritinhos... Eu ficava observando a alegria dele em ver os cabritinhos crescendo, ganhando peso, aqueles bichos eram sua alegria.
O tempo passou e por motivos de realização profissional vim morar na capitá. No entanto, jamais esqueci minhas raízes. Semana passada fui passar um final de semana em Bonfim.

Manhã de sábado, cheguei para minha mãe e falei:
─ Mãe quero comer bode assado na brasa! Vamos à feira comprar?
─ Meu filho, bode aqui em Bonfim está mais difícil do que achar esmeralda.
Questionei:
─ Como assim? Não se vende mais bode na feira?
Ela respondeu:
─ Vender até se vendi, mas é ilegal e difícil encontrar. O abate foi proibido e só pode ser feito em locais adequados.

Fiquei imaginando quantas pessoas estão sendo prejudicada. Mesmo sabendo da proibição, estava decidido e com vontade de comer carne de bode. Fui à feira, procurava e procurava... Vi um cabra conhecido, me aproximei e o reconheci, era Seu Manel:

─ Seu Manel, meu velho, quanto tempo! Como está o senhor? Vendendo um bodezinho?
─ Galeguinho! Eu tô bem meu filho, sobrevivendo... Até meus bodes que crio com tanto suor, tão querendo proibir de vender. Tenho que levar a feira para casa e dar o que “cumer” aos meninos para isso tenho que vender escondido aqui para os “homi” não pegar.

Em gesto de solidariedade comprei-lhe o bode todo. Fiquei feliz em encontrar um cabra tão querido e ter encontrado o tal do bode.
Voltando para casa, fui matutando pelo caminho e minha indignação aumentava com a situação que com certeza outras pessoas como Seu Manel em Bonfim e região estão passando. Nunca em 22 anos de vida, fiquei sabendo que alguém morreu ou passou mal porque comeu carne de bode que não foi abatido seguindo os padrões da vigilância, ADAB e etc.
Procurei saber o que à administração municipal e os demais vereadores estavam fazendo para tentar solucionar esse problema. Até então, não obtive nenhuma resposta, aliás, fiquei sabendo que o criador de bode, se quiser vender, tem que arcar com as despesas do transporte e abate para que a carne de fato seja comercializada.
É revoltante! Será que pessoas como Seu Manel tem condições para pagar? Claro que não! Por trás daquele cabra aparentemente forte, existe o velho sofrimento da vida no sertão. Seu rosto era marcado pela seca, pelo sol escaldante e pela desvalorização da sociedade perante o homem do campo.
Vocês deveriam se preocupar era com o crescimento da violência que está cada vez maior na cidade, promover políticas públicas com maior intensidade, combater o tráfico de droga – o bicho ta pegando , buscar novos empreendimentos para criação de novos empregos, incentivarem o esporte e preservar nossa cultura.
Deixem o velho Manel vender seu bode, assim como outros criadores que lutam a cada dia que o sol nasce usando aquele velho gibão nas costas e chapéu de couro na cabeça, sem perder a esperança da vida e preservando gerações que passam de pais para filhos.
Prezado gestor municipal, vereadores, como um cidadão bonfinense, exijo uma resposta sobre o assunto abordado e quais soluções estão sendo tomadas para resolver o problema.

Ângelo Murilo Bartilotti

OBRAS NO BONFIM III

C O M U N I C A D O



O Governo Cuidando de Nossa Gente,através da Secretaria de Infra-estrutura tem o prazer de informa à população que:
Estará inaugurando a Quadra Poliesportiva com iluminação no Bonfim III e inauguração da Urbanização da praça do mesmo bairro, Bonfim III, nesta sexta-feira dia, dia 1º de abril de 2011, O evento acontecerá a partir das 17h00min, no local das obras concluídas.
Contamos com sua presença.

Senhor do Bonfim: Targino Machado critica prefeitura da cidade

O deputado estadual Targino Machado, líder do bloco parlamentar PSC/PTN na Assembleia Legislativa da Bahia, comentou nesta terça-feira (29), sobre os problemas enfrentados pelos marchantes na cidade de Senhor do Bonfim. No último final de semana, eles tiveram suas mercadorias confiscadas pela ADAB (Agência de Defesa Agropecuária da Bahia), por não cumprirem com a lei que proíbe a venda clandestina desses produtos.
De acordo com o parlamentar, a solução precisa ser encontrada o mais rápido possível. “Porque não construir um frigorífico no município para o abate adequado de bovinos, ovinos e caprino? Os marchantes são submetidos à clandestinidade compulsória, sendo esses pequenos comerciantes presas fáceis para o Ministério Público, que não tolera a venda de carnes sem a devida licença. O MP só existe para penalizar os pequenos marchantes, que precisam comercializar as carnes para o sustento de suas famílias?”, questiona.
Targino ainda criticou a postura do prefeito Paulo Machado (PT), que pouco fez pela cidade até o momento. “O prefeito, ex-padre, afirmou que a única coisa que ele pode fazer, neste caso dos marchantes, é pagar um advogado para soltá-los quando forem punidos comercializando a carne sem licença. Belo prefeito. Ineficiente, mas generoso. Ele, sob a alegação de diminuição das receitas, também penalizou o funcionalismo público, elegendo-os para bode expiatório. De forma irresponsável, demitiu centenas de funcionários, levando prejuízos às famílias e para o erário, pois a maioria já retornou ao cargo por via judicial. Enfim, resta ao povo de Senhor do Bonfim ter paciência e a certeza que em 2012 poderão eleger um novo prefeito”, finalizou.

Politica hoje

Brasileiros de baixa renda podem perder o desconto na conta de energia


Cerca de 21,5 milhões de brasileiros de baixa renda correm o risco de perder o desconto na conta de energia até o fim deste ano. Uma lei aprovada em 2010 determina que o benefício só pode ser concedido a quem apresentar o Número de Inscrição Social (NIS), documento fornecido pelas prefeituras e que serve de cadastro para programas sociais do Governo Federal. Antes da mudança na lei, bastava o cliente declarar-se de baixa renda e consumir até 220 kwh por mês para obter a tarifa social, que pode representar um desconto de até 65%. Pelo cronograma da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), quem não se cadastrou na classe de consumo entre 80 e 100 kwh/mês perdeu o benefício no fim de 2010. Em janeiro, seria a vez dos clientes entre 68 e 79 kwh/mês, mas o prazo foi estendido para junho. Na Bahia, a população deve procurar as agências da Coelba para realizar o recadastramento.

Folha de S. Paulo

Governo e abatedores de caprinos buscam solução para comercialização dos produtos

Membros da Associação dos Abatedores de Bode da Igara, o prefeito Paulo Machado, vereadores e convidados reuniram-se na manha desta terça-feira, na Prefeitura Municipal em buscar de soluções para a comercialização da carne de caprinos e ovinos.
Representando os pequenos abatedores de bode, Aurino Manoel da Silva solicitou ao prefeito medidas que levassem a Adab (Agência de Defesa Agropecuária da Bahia) a suspender a fiscalização sobre esse setor produtivo. Dentre as argumentações dos marchantes foi dito que a situação aflige muitos marchantes e que a falta de abatedouro no município era um dos problemas. O prefeito analisou o pedido e respondeu: “Não sou eu quem manda apreender o bode de vocês, e que isso fique bem claro! A responsabilidade da fiscalização é da ADAB, um órgão do estado sobre o qual não tenho qualquer autonomia de ingerência ou para impedir ações”.
O prefeito levantou a alternativa do município disponibilizaria um veiculo para levar os animais para o abate em Juazeiro ou Sobradinho trazendo-os de volta para serem vendidos. Para isso, o município disponibilizaria câmara fria, que só deverá estar pronta no final do mês de abril. Essa medida de ajuda aos marchantes traria um custo de R$18.000,00 ao município por mês. O vereador Gustavo Miranda se dispôs a integrar uma comissão para ir até a Escola Agrotécnica de Senhor do Bonfim e ver se o abate e o estoque da carne poderiam ser feitos na própria escola.
Na tentativa de avançar para a solução, o prefeito Paulo Machado agendou para o dia 10/04 reunião com os membros da Associação dos Abatedores, vereadores e com a Promotoria de Justiça do município, ocasião em que serão analisadas saídas legais que favoreça aos criadores de caprinos e ovinos do distrito de Igara e Região. Entre os presentes: os vereadores: Antonio Carlos Bernardes (Biro-Biro), Gustavo Miranda e Ivan Barbosa; vice prefeito Aurélio Soares; ex-deputado estadual Paulo Braga, o advogado Pedro Cordeiro e o Prefeito Paulo Machado.

ASCOM

VUGNER E EQUIPE EM BUSCA DE MAIS TITULOS


Depois da conquista do Bi-campeonato Europeu,o atleta e professor de jiu-jitsu, Vugner Silva, vai em busca do Tetra campeonato do Norte Nordeste, que será realizado na cidade de Feira de Santana Bahia, nos dias 9 e 10 de Abril, e estará levando sua equipe com 15 atletas e promete trazer titulos e muitas medalhas pra Cidade de Senhor do Bonfim, "Espero trazer o maior numero de medalhas possivel pois, os garotos estão treinando muito e esperamos os melhores resultados possiveis, desde já agradeço o apoio de toda a imprensa de nossa cidade".

Cissinho de Assis visitou a terra natal, tá no São João e concedeu entrevista


Cicinho de Assis veio de Juazeiro e ficou por dois dias na cidade natal, “em visita ao meu pai, o sanfoneiro Assis, revendo também o prefeito Paulo Machado e confirmando minha participação no espaço Gonzagão do nosso grande São João, disse. Ele está com apresentação garantida para o dia 24/6, quando em horário nobre entrará em cena imediatamente após a apresentação de Zé Ramalho. Também em 2009, Cicinho de Assis cantou na grade de show seguinte a Zé Ramalho. No 1° andar da Prefeitura Municipal iniciamos um desses bate-papos bem descontraídos, bem ao acaso, mas gravados... Quando se trata de um nome como o dele, não tem jeito, a conversa informal vai pra mídia, vira interessante entrevista:


– Cicinho, qual o repertório que anda em sua cabeça?


– O de sanfona, de forró nordestino, o que sempre agrada mais.


– Qual a sanfona que você vem dedilhando?


– Agora eu estou com uma nova, uma Scandalli italiana, 120 baixos...


– É verdade que precisa pegar o jeito quando ela é nova?


– (Cicinho riu e fez comparações:) É verdade, a gente tem que descobrir os pontos dela igual a carro que a gente troca, igual a ter de se acostumar no convívio com o sexo oposto... (e rindo muito continuou) Eu ainda estou me adaptando, conhecendo o jeito dela, é como os exemplos que a gente falou: tem os pontos de suspiro, vou descobrindo e ela vai gemer bem no São João de Bonfim.


– É cara? Dê a dica pros apaixonados pelo fole.

– Dou sim, ainda tá doendo no meu bolso, no orçamento, em tudo... Essa minha ficou por mais de 25 mil reais.


– Você falou em repertório e não trouxe ela [a sanfona]...


– Ah, eu vou cantar... posso?



– Isso é lá pergunta que você faça! Quem é que não quer, de graça assim?


– (Cantando) Por isso eu vou na casa dela, a,i ai / Falar do meu amor pra ela, vai / Tá me esperando na janela, ai, ai / Não sei se vou me segurar”


– Esse é forró dos bons. Por que se lembrou dele?

– Eu gravei com Gilberto Gil, um grande parceiro de trabalho, artista genial. Nos cinco anos juntos, corremos mundo, rodei o Brasil e fizemos turnês incríveis. Não posso esquecer.


– Tem gente nova no mercado?


– Agora mesmo participei de um CD da Mariene de Castro, dividi o palco com ela em Juazeiro e gostei bastante do vocal e do balanço regional dela. Tem qualidade.


– Você tem algum recado pra sua terra?


– Tenho. No dia 24 de junho quero encontrar os forrozeiros, os meus conterrâneos no Espaço Gonzagão, no Parque da Cidade, logo depois do show de Zé Ramalho.