sexta-feira, 27 de abril de 2012

Caminhada contra o preconceito aos portadores do HIV conta com apoio do governo municipal



Foi realizada na manhã desta sexta-feira (26), a caminhada para a efetivação do projeto: Sou positivo + o preconceito é negativo –. Partindo da Praça Nova do Congresso, os adeptos da campanha percorreram as principais ruas da cidade até o calçadão da Juviniano Duarte, onde a caminhada culminou em apresentações teatrais.
O projeto de conscientização é de autoria da estudante de Serviço Social da UNOPAR Mirian de Freitas e visa promover a sensibilização em relação aos portadores do vírus do HIV/AIDS, que ainda vivem sob o estigma do preconceito.
“Nós ficamos satisfeitos com o evento, mas gostaríamos da participação em massa da população. Entendemos que esse processo é lento, mas a mensagem foi deixada. O objetivo era realmente sensibilizar a população quanto à condição da sorologia e suas dificuldades como vítimas do preconceito. Hoje as pessoas entendem, através dos meios de comunicação, das palestras realizadas e do meu blog www.projetomirian.blogspot.com que a AIDS está presente em nosso município e que as pessoas vítimas do vírus também são vitimas do preconceito - avaliou Mirian.
Opinião – O psicanalista Dr. Thiago Wesley colaborou com a campanha e escreveu um texto sobre o assunto, que diz:

“O preconceito é um problema social grave que se manifesta nas relações humanas envolvendo questões incontáveis: questões raciais, religiosas, políticas, geográficas, científicas. Onde existem diferenças, existem possibilidades evidentes de comportamentos discriminatórios.

O preconceito direcionado a pessoas portadoras do vírus HIV existe e também é um problema social. A luta contra esse tipo de preconceito é digna de atenção e deve ser levada a sério por aqueles que estão empenhados no processo de humanização da sociedade. Para tanto, algumas ideias devem ser esclarecidas e bem definidas, possibilitando a compreensão da proposta contra o preconceito e gerando a conscientização geral.

O preconceito certamente é um problema que está muito perto de nós, dentro das nossas casas, apresentado em programas de televisão, disseminado nas escolas. Dedicar um minuto para pensar sobre o preconceito é pensar no futuro das crianças, na qualidade dos relacionamentos interpessoais, é pensar no respeito ao próximo. Informações são necessárias; leituras são necessárias, mas para alcançar algum nível de mudança sobre as atitudes preconceituosas precisamos discutir o assunto, levantar a voz, movimentar a comunidade, conscientizar as pessoas.

Esse é o intuito do projeto “Sou positivo+ o preconceito é negativo-“. O movimento é coletivo, mas a mudança de atitude é pessoal, individual. Portanto, pense, reflita e colabore com essa idéia. “Só temos a ganhar com uma sociedade mais viva, mais consciente e menos preconceituosa” – diz a mensagem.

Apoio – O evento contou a participação de estudantes da rede municipal, das secretarias municipais de Saúde e Educação, DMtrans, Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), Grupo Gestor Municipal (GGM), Projovem, do grupo de dança Os Caipiras e da companhia Aroeira Cênica.

ASCOM BONFIM