sábado, 16 de junho de 2012

PARTIDOS REAFIRMAM COMPROMISSO COM CANDIDATURA DE PAULO MACHADO


Sob a liderança do prefeito Paulo Machado, de Senhor do Bonfim, reuniram-se os partidos que consolidam a aliança em torno do atual governo municipal. Estiveram presentes presidentes e assessores do PP (Partido Progressista), PSL (Partido Social Liberal), PHS (Partido Humanista Da Solidariedade), PMN (Partido da Mobilização Nacional), PRP (Partido Republicano Progressista), PTC (Partido Trabalhista Cristão). Devem confirmar sua presença ainda nesta frente o PPS, o PL, o PMDB. O DEM está sendo convidado a fazer parte das propostas que vêm sendo discutidas –pelos citados partidos. A produtiva reunião discorreu sobretudo em torno dos seguintes pontos:


1. Fez-se uma análise de conjuntura do quadro político em Senhor do Bonfim, destacando-se a tentativa desesperada do deputado estadual e ex-prefeito em salvar a possibilidade de sair candidato, contrariando decisão democrática de seu próprio partido, repetindo-se o estilo autoritário que sempre marcou a sua atuação política. Diante deste quadro reafirmou-se a serenidade e a tranquilidade da coligação que ali se formava, e que deve escolher na próxima semana o seu candidato a vice-prefeito. A produtiva reunião discorreu sobretudo em torno dos seguintes pontos:

2. Considerações sobre recente pesquisa que coloca o prefeito e pré-candidato Paulo Machado em situação favorável.

3. Quando à ex-vereadora Regina Martins (DEM), informou-se que a mesma apoiará a candidatura Machado, independente de ser ela candidata a vice ou não;

4. Foi avaliado o resultado de reunião ocorrida ontem, na Câmara de Vereadores, em que o deputado Carlos Brasileiro afirmou haver “desbancado” a petista Gorete Braz que vem brigando para ser candidata a prefeita;

5. Informou-se que PMDB e DEM ainda estão discutindo alianças e que na próxima semana já terão posição definida. Não se descarta uma aliança com o PSC.

6. Falou-se ainda da necessidade de que haja compromisso dos partidos e candidatos para com a candidatura majoritária (prefeito);

7. Ficou acertado que a convenção que consolidará a candidatura de Paulo Machado, assim como daqueles que concorrerão à vereança, será no dia 30/06, possivelmente no auditório da “25 de Janeiro”, praça Nova do Congresso;

8. Ao final, construiu-se agenda de reuniões entre partidos aliados para discutir coligações e pensar estratégias de campanha, ficando assim definido: dias 19/06; 21/06; 25/06 e 29/06. As reuniões ocorrerão sempre às 17 h, na sede dos partidos, situado na praça Nova do Congresso.

PP

D. FRANCISCO CELEBRARÁ MISSA DE ENVIO DA IMAGEM DO SENHOR DO BONFIM NESTE DOMINGO


Dom Francisco Canindé Palhano está convidando a comunidade católica bonfinense, para celebrarem junta a Missa de Envio da Imagem do Senhor do Bonfim, que irá para Salvador, no IPAC, Instituto Do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia, onde a imagem passará por um processo de restauração.
Esse ano a Paróquia de Senhor do Bonfim comemorará seus 200 anos, e é importante que a imagem esteja no alto da sua colina no altar da Catedral Diocesana no dia 12 de dezembro de 2012.

ANDORINHA: NOTA DE ESCLARECIMENTO


Sobre os festejos particulares nos Bairros durante o período Junino a Prefeitura esclarece à população Andorinhense

Os festejos juninos sempre motivaram a população regional, principalmente a da Micro-Região de Senhor do Bonfim sempre festejando e comemorando os santos (Antonio, João e Pedro).Mesmo emancipado de Senhor do Bonfim, Andorinha sempre incluiu no seu calendário festivo as comemorações juninas. A tradição local, que se manifesta nesse período, motivou a fixação dos festejos de São Pedro como a marca maior das comemorações locais. Entretanto, nos dias que antecedem o São Pedro,outros eventos não menos importante à exemplo do “Forró da Laranjeira”, da “Fogueira do Pedro do Anjo”, o “forró da Gertrudes”, além do “São João da Vila Peixe” sempre tiveram, no Poder Público o incentivo e patrocínio.

Seca e recursos - O município de Andorinha vive hoje a pior seca desde a sua emancipação,assim como, quase 60% dos demais municípios da Bahia.A falta de água e a fome demandam um esforço enorme de recursos público e, a prioridade, tem sido o fornecimento de água à população urbana e rural no sentido de minimizar os efeitos da estiagem.A população vive dias de imensa angústia devido à mortandade de animais e o êxodo rural, sentimos esse infortúnio de perto.O Poder Público vem fazendo o que pode no sentido de minorar essa situação.Os festejos desse período demandariam um esforço muito grande do município que não dispõe de recursos suficientes para enfrentar os gastos advindos da estiagem.

Medidas urgentes - Atendendo recomendação do Ministério Público, do Tribunal de Contas dos Municípios, da população Andorinhense e ao bom senso,o Prefeito optou por reduzir as despesas que seriam efetuadas para a realização dos festejos nos Bairros que antecedem a festa tradicional, deixando o município de patrocinar as festividades de São João e, comemorar festivamente o São Pedro que é festa de maior tradição no município, diminuindo também,neste ano de 2012 devido a atual situação, os dias comemorativos de três para dois dias,assim como, a redução de gastos com contratações.

Desta forma, atende o gestor à tradição e observa as recomendações do Ministério Público e do anseio popular no sentido de concentrar maior esforço e utilização de recursos para o atendimento da população que vem sofrendo os efeitos da estiagem prolongada.Evidente que isso tem trazido desconforto a alguns setores da população, mas a vida e o bem estar são as prioridades do Governo Municipal.Entretanto,mesmo sem recursos para patrocinar, o município vem apoiando as diversas manifestações populares nos eventos que serão realizados nesse período.O trabalho da Prefeitura de Andorinha visa primordialmente a coletividade e o bem comum.

ASCOM ANDORINHA

HISTORICIZANDO ALGUMAS CONQUISTAS DO MOVIMENTO DOS TRABALHADORES A PARTIR DA ÚLTIMA GREVE

Toda conquista se enquadra num contexto espaço-temporal que é histórico, político e social.
Contextualizando o processo de luta do Sinasefe junto aos trabalhadores:
Após deflagrarmos a greve no dia 01 de agosto de 2011, passamos a ser ouvidos e percebidos como SUJEITOS DE DIREITO na medida em que nossos gestores assumiram a postura e DIALOGAR com a representação de trabalhadores de cada campus, sendo que muitos eram encaminhamentos necessários ao desenvolvimento de um trabalho de qualidade. Registre-se que a abertura para o diálogo tem sido uma luta empreendida pelos servidores, já que, a coesão da classe trabalhadora e a qualidade no serviço prestado à comunidade só poderão ser obtidos a partir de um posicionamento maduro de deliberar coletivamente. Isso se concretiza na medida em que há transparência nas relações estabelecidas e da abertura para o diálogo, pautando-se numa maturidade profissional e num compromisso ético de respeito ao próximo num exercício diário de construção da cidadania.
Como esse processo de diálogo entre gestores e servidores é, ainda, bastante iniciante, o qual não se efetivou com completude e eficiência, dá-se margem para a desconsideração dos anseios trabalhadores. Esses longos anos de instituição pública sem espaços de exteriorização de pensamento e de uma não-discussão culminaram num sentimento de não aceitação da categoria a posturas de tais natureza. Tais situações e não aceitação desse contexto de não garantia da livre expressão e do respeito à participação democrática ensejou na produção de um documento reivindicatório, materializado no Termo de Acordo entre categoria e Reitoria do IFBaiano.
Tal reação se deu, devido ao fato de que as demandas dos trabalhadores não têm sido, na sua maior parte (sem quase nenhuma exceção), ouvidas, sistematizadas e encaminhadas ao Conselho de dirigentes, ou mesmo ao Conselho Superior, instâncias consultivas e deliberativas do IFBaiano. É salutar apontar que o encaminhamento de tais demandas deveria ocorrer sob a intermediação dos nossos gestores, os quais são nossos representantes legitimamente eleitos por coletivo escolar, e, portanto, deve-lhe prestar contas.
Ressaltamos, que a elaboração do Termo de Acordo e a sua discussão, nos dá pista sobre a possibilidade de construir um Instituto revitalizado, onde encaminha-se para perceber IMPORTÂNCIA DAS DEMANDAS DOS TRABALHADORES-SERVIDORES (BEM COMO ALUNOS) SEREM OUVIDAS.
É verdade que alguns campi continuam com práticas centralizadoras e autoritárias quanto à tomada de decisões, mas estamos avançando, pelo menos no campo do debate para construir práticas mais democráticas e participativas. Por isso é tão importante que se conheça o Termo de Acordo, compreendendo-se que ele materializa o grito dos trabalhadores que há muito estava engasgado. Além disso, é pertinente que se continue a cobrar a sua discussão e efetiva implantação, pois não podemos nos conformar com uma realidade que castra a nossa VOZ.
Diante disso, podemos dizer que muitos foram os ganhos da reestruturação do NOSSO SINDICATO. Ele é a NOSSA VOZ!
SIM, É A NOSSA VOZ CONTRA TODA E, QUALQUER PRÁTICA, QUE INTENTE DESMOBILIZAR A CLASSE TRABALHADORA E FAZER CALAR A SUA VOZ!
Face a luta empreendida é imprescindível – principalmente para aqueles que querem fazer desacreditar a importância luta – expor algumas conquistas obtidas a partir do Termo de Acordo e apontar aquilo, que poderá se concretizar objetivamente, se nossos dirigentes atentarem para as nossas reivindicações. Vejamos:
1.1 - O que conseguimos:
 Quanto ao Regime de trabalho dos servidores técnicos, alguns campi, com Senhor do Bonfim, todos os técnicos conquistaram a jornada de 6 horas contínuas de trabalho, sendo que Catu e Santa Inês trabalham sob esse regime parcialmente. Esse regime de trabalho, além de ser uma garantia legal, já gozada por servidores SINDICATO NACIONAL DOS SERVIDORES FEDERAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA E PROFISSIONAL
da justiça, Senado e outras instituições públicas, tem garantido uma melhor qualidade da vida do trabalhador, e, portanto, um serviço prestado à comunidade com mais eficiência e qualidade;
1.2 - O que ainda falta obter:
 Isonomia na carga horária de trabalho dos técnicos em todos os Institutos.
2.1 - O que conseguimos:
 Quanto ao Regime de trabalho dos servidores docentes instituiu-se um Grupo de Trabalho que tem se reunido periodicamente desde o ano passado para discutir e elaborar minuta de regulamentação da carga horária docente. Tal Minuta está sendo discutida coletivamente nos campi e está em fase de conclusão, sendo que agrega as sugestões dos diversos servidores. Após sua conclusão deverá ser encaminhado ao Conselho Superior para ser apreciado e votado.
2.2 - O que ainda falta obter:
 A aprovação do documento pelo Conselho Superior, já que expressa o anseio de normatizar a atividade docente e expressa o compromisso destes profissionais com a produção responsável, cidadã e eficiente, ao passo que se trata de uma produção coletiva.
3.1 - O que conseguimos:
 Estamos avançando na discussão sobre a “Transparência nas comunicações internas e externas e ampla divulgação”;
3.2 - O que ainda falta obter:
 A divulgação de todas as informações, não parte delas, com a devida antecedência, como as reuniões e suas respectivas pautas, bem como os documentos comprobatórios (atas e relatórios) das decisões tomadas. O mesmo procedimento deverá ser adotado para as reuniões do Conselho de Dirigentes e do Conselho Superior. Essa socialização tem sido pela iniciativa de alguns Conselheiros e, não por uma ação oficial do Instituto.
4.1 - O que conseguimos:
 No quesito ELEIÇÕES, foram eleitos em alguns campi os Conselhos de Curso, conforme prevê a Organização Didática do Ensino Médio Integrado e Pós-Médio, os quais devem deliberar coletivamente quanto a decisões pertinentes ao curso sob a sua coordenação. A eleição dos Colegiados dos cursos superiores, o que contribui para a autonomia do coletivo na tomada de decisões. Eleição da Comissão Própria de Avaliação (CPA), a qual tem como atribuição a avaliação dos cursos mediante a consulta à comunidade acadêmica e comunidade. Diante do que deve propor as mudanças e adequações necessárias.
4.2 - O que ainda falta obter:
 Precisamos que sejam garantidas efetivas condições de trabalho (infraestrutura, material de apoio, recursos humanos) destas Comissões e Colegiados, além de que sejam respeitadas as decisões coletivas e os encaminhamentos solicitados pelos representantes destas instâncias deliberativas;
Parecem ser muitas as reivindicações, mas além de serem todas necessárias, diante do tempo já percorrido, todas essas melhorias deveriam já ter sido alcançadas e implementadas. Isso certamente contribuirá para a democratização do nosso Instituto, alcançando-se processos decisórios mais justos e isonômicos.
POR UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE! POR ESTE DIREITO CONSTITUCIONAL!
A EDUCAÇÃO NO NOSSO PAÍS MERECE RESPEITO!
SINASEFE/ Seção Senhor do Bonfim
RESUMO DA PAUTA DE REINVIDAÇÕES LOCAIS
O que ainda não conquistamos!
PLANEJAMENTO
1. Elaboração e Implementação do Projeto Político Pedagógico do campus de Senhor do Bonfim;
2. Instituir a Conferência Bianual do IF com todos os seguimentos e a sociedade para avaliação do planejamento estratégico e estabelecimento de diretrizes;
ÉTICA NO TRABALHO: CONTRA O ASSÉDIO DO TRABALHADOR MORAL E PROFISSIONAL E TRATAMENTO ISONOMICO DO TRABALHADOR
3. Instituir um programa de combate ao assedio moral dentro dos campi;
4. Tratamento isonômico entre os servidores, considerando a competência técnica para a ocupação de cargos;
5. Constituição de comitê de ética do IF BAIANO; Consulta aos pares para constituição de comissões; Reavaliação do papel do CPPD – Comissão Permanente de Progressão Docente;
6. Equiparação e democratização da distribuição da carga horária docente de acordo ao campo de conhecimento do concurso ou de estudo de cada docente, com isonomia;
CUMPRIMENTO DA LEGISLAÇÃO E RESPEITO A DOCUMENTOS INSTITUCIONAIS
7. Implementação na íntegra das Organizações Didáticas do Ensino Médio, Pós-Médio e Superior;
8. Criação da comissão interna de prevenção e acidentes;
PUBLICIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES
9. Publicização detalhada da prestação de contas dos recursos do Instituto, do Campus e da Cooperativa;
10. Elaboração e Publicização do planejamento estratégico DAP, DDE e suas coordenações;
GARANTIA DE ESPAÇOS DEMOCRÁTICOS
11. Participação de membros da seção sindical nos processos de sindicância;
12. Indicação de membros de comissão pelos pares;
13. Reuniões periódicas nos demais setores do campus, coordenações e direção geral com os servidores;
14. Democratização de acesso aos espaços e informações no instituto;
15. Instituição de eleição para todos os cargos de direção do instituto; Normatização e padronização de critérios para atribuição de cargos de FG;
16. Instituição de um conselho deliberativo com representantes de todos os segmentos do Campus e SINASEFE;
17. Suprimir a Concepção de Comissões Permanentes;
18. Instituir o Orçamento Participativo no IF BAIANO com suporte técnico e jurídico;
19. Consulta aos pares para realizar alterações e criação de infra-estrutura do campus;
MELHORIA DOS PROCESSOS DE ENSINAGEM
20. Incentivo à criação de linhas de pesquisa nos campi; Instaurar imediatamente Sindicância para apurar Assédio moral no campos de Senhor do Bonfim, priorizando aquelas já recomendadas pelo CGU (comissão paritária IF-SINASEFE);
21. Ampliação urgente do acervo bibliográfico necessário para o bom andamento dos cursos; Publicização dos documentos normativos da instituição no site do IF BAIANO e através de outros meios informativos;
22. Criação de Fórum de pesquisa e extensão para elaboração e discussão sobre as diretrizes, conceitos, plano de metas, financiamento e gestão;
23. Editais para financiamento de pesquisa e extensão, bem como espaço para demanda espontânea; Ampliação de recurso para pesquisa e extensão e apoio logístico;
ASSITÊNCIA ESTUDANTIL
24. Desenvolver, imediatamente, estudo de viabilidade para implantação de bolsas e residência estudantil (Ensino Médio, Pós-Médio, Graduação e Pós-Graduação) no campus de Senhor do Bonfim, respeitando critérios socioeconômicos, no prazo de 60 dias;
25. Instituição da Pró-reitora de Assistência Estudantil (ver modelo UFBA);
26. Transformação das residências ocupadas por funcionários e suas famílias (ocupação esta que acontece em alguns casos há mais de 10 anos) em estrutura física de uso coletivo nos campi;
APLICAÇÃO DE RECURSOS NA MELHORIA DA INFRAESTRUTURA
27. Construção de sala de estudos docente;
28. Construção de auditório;
29. Reforma do refeitório;
30. Reforma do espaço do campus para acessibilidade;
POR UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE!
A EDUCAÇÃO NO NOSSO PAÍS MERECE RESPEITO!

SINASEFE/ Seção Senhor do Bonfim

Jacobina: Ônibus da São Luiz mata dois ocupantes de moto na BR-324


Um grave acidente ocorreu na noite desta sexta-feira (15), por volta 19h, deixando duas vitimas fatais na BR-324, a cerca de 5 km da cidade de Jacobina.
Segundo informações, um ônibus da empresa São Luis, colidiu com uma moto, deixando os corpos dos dois motoqueiros em forma de decomposição e vindo a óbito no local.

Os dois ocupantes da motocicleta, identificados até o momento como Caique e Marquinhos, vinham do Junco com destino à Jacobina, quando foram atingidos pelo ônibus, na curva do Balneário, logo após uma manobra arriscada, na tentativa de desviar-se de um pedaço de madeira que estava no asfalto.
Os corpos das vítimas foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Jacobina.

Da redação do Minuto Chapada, escrito por Rafael Cerqueira.
Fotos: Henrique Silva, Mototaxista.