domingo, 19 de agosto de 2012

DUAS PERDAS EM UM DIA PARA A DELEGACIA 10/4 DE PRF DE BONFIM


Um sábado para jamais ser esquecido por patrulheiros da Delegacia 10/4 com sede em Senhor do Bonfim, duas perdas irreparáveis para a corporação.
Em Bonfim a morte repentina de Francisco Machado de Brito Filho, “Brito”, que enfartou as 06h50 desse sábado ao dar entrada no HDAM, a outra perda se deu quando em serviço o patrulheiro PALES, lotado na Delegacia 10/4 posto 2, em Capim Grosso, José Antônio Pales dos Santos, de 61 anos, substituía um colega, Francisco Machado de Brito Filho, 59, falecido pela manhã em decorrência de um infarto. Ele foi atingido por uma Peugeot Sprinter de cor branca, placa HIM 1053, de Belo Horizonte (MG), que não participava da carreata, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Pales foi atropelado no km 220 da rodovia, por volta das 20h30. Identificado como Cristiano Amaral, o motorista do carro fugiu sem prestar socorro.
São duas perdas irreparáveis em um único dia que jamais será esquecido, ainda que se queira, pois perde-se homens comprometidos com seus trabalhos.



Maravilha Notícias

Ao amigo Francisco Machado de Brito Filho, o "Brito PRF"


Nas 22:00 horas do dia 17.08.2012, vi pela ultima vez meu amigo Brito. No Bar do Aguí, como no Betão ou em qualquer outro lugar da nossa terra, a pergunta é iminente: O Brito Morreu?
Pois é amigos, o velho Brito ousou cruzar a velha rua do destino. Partiu assim como sempre esteve conosco, com a mesma casca, a mesma verve, fidalguia e amizades deixadas.
Brito Partiu com versos, prozas e tudo aquilo que dignifica um CIDADÃO. Sou um homem da ENGOMADEIRA, assim se definia. "Sou um ser humano para tudo e todos, sou um homem que cruza todo dia, ainda que sejam ruas". Pois é amigo Brito cruzastes a ponte da vida, ousou perambular nos caminhos do DIVINO, e, assim, lá chegando desejamos todos nós, seus admiradores, que estejas lado a lado com o ser corregedor das nossa paragens, que encaminhe o seu belo espírito, que norteie a sua alma. Enfim, a vida consiste em meros cruzamentos.

Não vou além do choro do amigo perdido, não sucumbirei ao desalentos dos seus amigos, a vida é boa e deve ser primordialmente vivida, independente de qualquer que seja a insatisfação do momento.

Aqui permitimos nos despedir do seu corpo plantando uma entre as demais arvores neste canteiro chamado VIDA.

Dos seus amigos do Agui, Betão e tantos outros locais que deixastes o do doce sabor do VIVER.

Por Humberto Santiago