sábado, 26 de julho de 2014

REGIONAL: INCRA RECONHECE TERRITÓRIO QUILOMBOLA DE TIJUAÇU, O QUE BENEFICIA 828 FAMÍLIAS NA BAHIA


O Tijuaçu abrange os municípios de Senhor do Bonfim, Filadélfia e Antonio Gonçalves.

O Território Quilombola de Tijuaçu, na Bahia, tem portaria de reconhecimento do Incra publicada, nesta sexta-feira (25), no Diário Oficial da União (DOU). A publicação significa o reconhecido pelo Instituto de que a área de 8,4 mil hectares, onde vivem 828 famílias, é um território quilombola.

O Tijuaçu abrange os municípios de Senhor do Bonfim, Filadélfia e Antonio Gonçalves, situados a 450 quilômetros de Salvador. Trata-se da área com maior número de famílias beneficiadas pelo Programa Brasil Quilombolas no estado.

A portaria de reconhecimento consolida o Território Quilombola de Tijuaçu como remanescente de quilombo e dá legitimidade ao conteúdo do Relatório Técnico de Identificação e Delimitação (RTID), publicado em 2010. É 12ª portaria publicada que favorece territórios quilombolas baianos.

Com o reconhecimento, o Serviço de Regularização de Territórios Quilombolas do Incra/BA inicia a elaboração do kit decreto, que reúne as documentações necessárias, para que a área de Tijuaçu possa ser decretada como de interesse social pela Presidência da República.

Com o decreto presidencial, o Instituto poderá iniciar o processo de arrecadação das terras públicas e obtenção de imóveis rurais e posses inseridos no perímetro. São 39 propriedades particulares e 37 posseiros.

História – O RTID do Tijuaçu conta que o povoamento do local começou com a chegada de Maria Rodrigues, mais conhecida como “Mariinha”, de origem Nagô que teria fugido de uma senzala em Salvador. Mariinha inicialmente se estabeleceu na região conhecida como Alto Bonito onde tinha uma visão estratégica da área. Mais tarde, ela teria casado com um homem de origem do Congo e deram início ao quilombo.
A oralidade e as tradições, como o samba de lata, são pontos fortes das comunidades que compõem o Território de Tijuaçu. Muitas histórias e costumes foram passados entre gerações. O samba da comunidade surgiu enquanto as mulheres caminhavam longos trechos em busca de água.

De acordo com relatório, é fácil identificar os moradores do Território de Tijuaçu. “Eles costumam ter um modo de vestir diferenciado com cabelos trançados. Utilizam torços, têm práticas lúdicas semelhantes e a religiosidade está ligada ao culto a São Benedito”, explica o documento.

Fonte: ASCOM INCRA

PIZZARIA FAST PIZZA'S “A MELHOR E MAIS BARATA PIZZA DA CIDADE"


Agora ficou mais fácil deliciar-se com maravilhosas pizzas com FAST PIZZA'S, Rua Expedicionários da Pátria, nº 135 - Mercado.


Ligue: 3542-1911/ 8100-7496/9111-4651.
Horários de atendimento: Das 18hs à 00:00h

Comprando na FAST PIZZA'S, você ainda concorre a brindes semanais.

ESPORTE: CAMPOFORMOSENSE SÉRGIO RIOS VENCE LUTA NO BELLATOR COM NOCAUTE NO 2° ROUND


O lutador de Campo Formoso, Sérgio Rios, conseguiu a maior vitória na sua carreira de MMA. Venceu por nocaute a primeira luta no Bellator, segundo maior evento do esporte no mundo.

A luta aconteceu na noite de hoje (25), nos Estados Unidos, contra Stephen Martinez. No primeiro round Stephen conectou golpes mais contundentes e com cotoveladas conseguiu abrir cortes na testa e na boca de Sérgio. Mesmo sangrando muito, Sérgio conseguiu trabalhar a guarda e tentou aplicar armlocks e omoplatas, mas, sem sucesso.

                                                                                     Imagens de Sergio Rios após a luta


No segundo round, Sérgio voltou disposto a acabar com o combate rápido. Partiu para cima do oponente e acertou um belo chute no rosto de Stephen que balançou, Sérgio continuou as investidas com socos fortes em pé e no chão quando obrigou o arbitro a interromper a luta aos 20 segundos. Fim de papo, Sérgio Rios vence, continua invicto e mostra ao mundo que pode chegar muito longe na carreira.


Campo Formoso Noticias

ARTIGO: NOVOS SACERDOTES PARA A DIOCESE DE BONFIM: A IDA NECESSÁRIA AO CONCÍLIO VATICANO II


Neste sábado, dia 26 de julho, serão ordenados sacerdotes na Diocese de Bonfim os jovens diáconos Darlan dos Santos, Rafael Batatinha de Castro, Robsom Miranda Farias, Wheider Gerlan Santana Miranda , Edivaldo da Silva Pinho, Tiago Rafael Chagas e Lucivaldo França. Farta colheita que, em espírito de justiça, devemos atribuir e agradecer a nosso Bispo Diocesano, Dom Francisco Canindé Palhano. Uma marca do seu episcopado tem sido sem dúvida o forte empenho na pastoral vocacional e os esforços redobrados na criação de um clero cada vez mais enraizado em nossa Diocese.

Para tornar este fato ainda mais rico, somos convidados a retomar o Decreto do Concílio Vaticano II “Presbyterorum Ordinis”, sobre o Ministério e a Vida dos Sacerdotes, belíssimo documento que se dedica a apresentar os caminhos a serem trilhados também pelos novos sacerdotes bonfinenses.

Pincelamos, do vasto e rico texto, alguns pontos que consideramos cada vez mais urgentes na pastoral contemporânea:

I. O MINISTÉRIO DOS PRESBÍTEROS NO MUNDO

Os presbíteros, tirados dentre os homens e constituídos a favor dos homens nas coisas que se referem a Deus, para oferecerem dons e sacrifícios pelos pecados (16), convivem fraternalmente com os restantes homens. Assim também, o Senhor Jesus, Filho de Deus, enviado pelo Pai como homen para o meio dos homens, habitou entre nós e quis assemelhar-se em tudo aos seus irmãos, menos no pecado (17). Já os Apóstolos o imitaram, e S. Paulo doutor das gentes, «escolhido para anunciar o Evangelho de Deus» (Rom: 1,1) atesta que se fez tudo para todos, para salvar a todos (18). Os presbíteros do Novo Testamento, em virtude da vocação e ordenação, de algum modo são segregados dentro do Povo de Deus, não para serem separados dele ou do qualquer homem, mas para se consagrarem totalmente à obra para que Deus os chama (19). Não poderiam ser ministros de Cristo se não fossem testemunhas e dispensadores duma vida diferente da terrena, e nem pode riam servir os homens se permanecessem alheios à sua vida e às suas situações (20). O seu próprio ministério exige, por um título especial, que não se conformem a este mundo (21); mas exige também que vivam neste mundo entre os homens e, como bons pastores, conheçam as suas ovelhas e procurem trazer aquelas que não pertencem a este redil, para que também elas oiçam a voz de Cristo e haja um só rebanho e um só pastor (22). Para o conseguirem, muito importam as virtudes que justamente se apreciam no convívio humano, como são a bondade, a sinceridade, a fortaleza de alma e a constância, o cuidado assíduo da justiça, a delicadeza, e outras que o Apóstolo Paulo recomenda quando diz: «Tudo quanto é verdadeiro, tudo quanto é puro, tudo quanto é justo, tudo quanto é santo, tudo quanto é amável, tudo quanto é de bom nome, toda a virtude, todo o louvor da disciplina, tudo isso pensai» (Fil. 4,8) (23).