segunda-feira, 10 de outubro de 2016

BONFIM: AGENTES DE ENDEMIAS ESTÃO COM ATIVIDADES COMPROMETIDAS NOVAMENTE


Senhor do Bonfim, já iniciou em toda Bahia uma força tarefa para combater o mosquito Aedes aegypti, que transmite zika, dengue e chikungunya. Mas em Senhor do Bonfim, os agentes de endemias, que são fundamentais nesse processo de combate, reclamam mais uma vez das condições de trabalho e denunciam que falta compromisso dos gestores para enfrentar o mosquito.

Centenas de trabalhos realizados em visitas domiciliares serão descartados sem ao menos alimentar o sistema de informações estadual de controle dessas doenças.

Importante lembrar que Senhor do Bonfim é a 39º cidade da Bahia considerada prioritária no combate ao mosquito tendo em vista sua colocação geográfica e situação climática.

Segundo dados da própria secretaria municipal de saúde apenas no mês setembro já foram notificados e confirmados os seguintes casos:

Dengue – 21 casos notificados, 14 confirmados, 05 inconclusivo e apenas 02 descartados.
Febre Chikungunya – 86 casos notificados, 84 confirmados e apenas 02 descartados.
Zika vírus – 02 casos notificados, 01 confirmado e 01 descartado.

Os Agentes de endemias denunciam que a falta de estrutura adequada não é o único problema.


Os agentes de endemias que travaram uma verdadeira batalha para conseguir garantir direitos trabalhistas em uma greve que durou mais de 60 (sessenta dias), que possivelmente ocasionou um surto dessas doenças na região, estão mais uma vez com suas atividades prejudicadas por conta da exoneração dos Supervisores de Equipe que é de fundamental importância para as execuções das atividades, Conforme determina o PROGRAMA NACIONAL DE PREVENÇÃO E CONTROLE DE EPIDEMIAS DO MINISTERIO DA SAÚDE, E DIRETRIZES NACIONAIS DE COMBATE AO AEDES AEGIPTY.

SUPERVISOR DE ÁREA

A supervisão é uma atividade que permite o acompanhamento da execução das ações e sua qualidade, maximizando os recursos disponíveis e realizando as adequações necessárias, de maneira a contribuir para que os objetivos traçados sejam alcançados. Por intermédio da supervisão, é possível monitorar aspectos essenciais ao trabalho de campo, tais como a utilização de insumos, o cumprimento do horário e do itinerário, bem como a produtividade do trabalho. A estrutura de supervisão ao trabalho de campo proposta para o gerenciamento do controle vetorial prevê duas categorias de supervisor: o geral e o de área. Para cada 10 agentes de controle de endemias, está previsto um supervisor de área e, para cada cinco supervisores de área, um supervisor geral (10 →5→1).

SUPERVISOR GERAL

As atribuições do profissional responsável pela supervisão são as seguintes:
• conhecer os aspectos técnicos e operacionais do controle da dengue;
• estar informado sobre a situação da dengue, zika e chikungunya em sua área de trabalho, orientando o pessoal sob sua responsabilidade, em especial quanto à presença de casos suspeitos e quanto ao encaminhamento para a unidade de saúde ou serviço de referência;
• participar do planejamento das ações de campo na área sob sua responsabilidade, definindo, caso necessário, estratégias específicas, de acordo com a realidade local;
• participar da avaliação dos resultados e do impacto das ações;
• garantir o fluxo da informação quanto aos resultados da supervisão;
• organizar e distribuir o pessoal sob sua responsabilidade, controlando sua frequência;
• prever, distribuir e controlar os insumos e materiais utilizados no trabalho de campo;
• atuar como facilitador, oferecendo os esclarecimentos sobre cada ação que envolva o controle vetorial;
• atuar como elo entre o pessoal de campo e a gerência técnica;
• melhorar a qualificação dos trabalhadores sob sua responsabilidade;
• estimular o bom desempenho da equipe sob sua responsabilidade;
• acompanhar sistematicamente o desenvolvimento das atividades de campo, por intermédio de supervisões direta e indireta;
• manter organizado e estruturado o posto de apoio e abastecimento (PA);
• garantir, junto ao pessoal sob sua responsabilidade, o registro correto e completo das atividades;
• realizar a consolidação e o encaminhamento à gerência técnica das informações relativas ao trabalho desenvolvido em sua área;
• consolidar os dados do trabalho de campo relativo ao pessoal sob sua responsabilidade; e
• fornecer às equipes de Atenção Primária, especialmente da estratégia de Saúde da Família, as informações entomológicas da área.


O programa nacional de combate as endemias é constituído pelo conjunto das ações e dos serviços de saúde sob gestão pública. Está organizado em redes hierarquizadas e atua em todo o território nacional, Por tanto, suas atribuições básica devem ser assegurada de forma unicamente técnica e não política como pensa o gestor municipal.

Só unidos venceremos, combater o mosquito é dever de todos, unidos somos mais!

AACE