quarta-feira, 26 de outubro de 2016


BRASIL: LEI POR DIRIGIR SEM O DOCUMENTO DO VEÍCULO MUDA EM NOVEMBRO


A partir de 1º de novembro, quem for flagrado dirigindo sem portar a documentação do veículo poderá sair ileso e não ser multado.

De acordo com alteração da legislação, o Certificado de Licenciamento Anual “será dispensado quando, no momento da fiscalização, for possível ter acesso ao devido sistema informatizado para verificar se o veículo está licenciado”.

A alteração faz parte do pacote de mudanças do Código Nacional de Trânsito, que entra em vigor nas próximas semanas. Apesar da nova regra, é preciso cuidado, pois o proprietário acabará sendo punido se, por qualquer razão, o sistema estiver fora do ar ou o fiscal que fizer a abordagem não conseguir acessá-lo. Atualmente, quem for pego dirigindo sem documentação pode ser multado em até R$ 53,20.

Além disso, perde três pontos na Carteira Nacional de Habilitação. Segundo o coordenador do posto da Polícia Rodoviária Federal, Flávio Catarucci, o fim da obrigatoriedade de portar a documentação do veículo vem graças aos avanços tecnológicos que deram instrumentos para os policiais verificarem a situação do motorista e do veículo em tempo real.

“Pela PRF cada policial tem no celular um aplicativo oficial que dá para verificar pelo CPF se o motorista é habilitado e pela placa e chassi do veículo se a situação está regular” diz Catarucci. Dirigir sem possuir CNH ou com o documento suspenso continua sendo infração gravíssima, com multa de R$ 191,54 e sete pontos negativos na CNH.

Marco Antonio dos Santos/Diário da Região

CLÍNICA MEDITRA MEDICINA DO TRABALHO


POLICIAL: AÇÕES DA PM EM SENHOR DO BONFIM

6º BPM REALIZA CONDUÇÃO À DELEGACIA POR DANO AO PATRIMÔNIO PÚBLICO


Policiais da 1ª Companhia do 6º Batalhão de Polícia Militar conduziram à delegacia de Polícia Civil Danila Djanira, de 20 anos, por dano ao patrimônio público, ao quebrar duas portas de vidro da maternidade do Hospital Dom Antônio Monteiro, na Rua 2 de Julho, em Senhor do Bonfim, nesta terça-feira (25), às 16 horas.

6º BPM CONDUZ À DELEGACIA HOMEM QUE ATROPELOU IDOSA E BEBÊ

Às 21 horas desta terça-feira (25), na Praça Alexandre Góes, em Senhor do Bonfim, policiais da 1ª Companhia do 6º Batalhão de Polícia Militar conduziram à delegacia de Polícia Civil, Anderson Neto,  de 26 anos, por atropelar uma senhora de 62 e sua neta de 1 ano de idade, que foram socorridas pelo SAMU.

O condutor da motocicleta YBR Yamaha Factor 125, de cor roxa, que permaneceu no local do acidente, não possui Carteira Nacional de Habilitação e não apresentou documentos do veículo.

Polícia Militar da Bahia
6º Batalhão de Polícia Militar
Seção de Comunicação Social

POLICIAL: 6º BPM ENTREGA AO PROPRIETÁRIO MOTOCICLETA RECUPERADA


Em Cansanção, na sede da 4ª Companhia do 6º Batalhão de Polícia Militar, na manhã desta terça-feira (25), foi entregue ao proprietário uma motocicleta roubada no dia 18, no Povoado Várzea dos Bois, Município de Monte Santo e recuperada durante abordagem em Cansanção.


Polícia Militar da Bahia
6º Batalhão de Polícia Militar
Seção de Comunicação Social

FESTA: DIA 05 DE NOVEMBRO TEM FESTA DO "PISEIRO" EM TIJUAÇU


PARÓQUIA DE SÃO JOSÉ ESPOSO PROMOVE SERESTA NO PRÓXIMO DIA 05 DE NOVEMBRO


EM BUSCA DE UM SONHO: BONFINENSE REALIZA SONHO E SE FORMA EM JORNALISMO NO RIO DE JANEIRO


"Nasci em uma família excessivamente pobre, do extremo norte da Bahia. Meu pai, um homem quilombola, pobre e nordestino, nunca estudou, porque, desde cedo, trabalhava numa rotina desumana, na roça. Minha mãe pouco estudou, desde 7 anos, trabalhava cortando sisal (planta de cultivo em regiões semiáridas, utilizada para fins comerciais). Morávamos em casa de pau a pique e até de favor. Por vários anos, passamos fome.
Fui à escola pela primeira vez aos 5 anos, mas a vida já me alfabetizava desde cedo. Eu era a única criança da turma e não conseguia acompanhar o método de ensino da professora. Só aprendi a ler e escrever depois dos 10 anos. Eu e meus dois irmãos ajudávamos nossa mãe nos afazeres de casa, carregando balde de água na cabeça, assim também como feixe de lenha. Em casa, não tinha energia elétrica. A noite era iluminada à luz do candeeiro. Nunca tivemos conforto, mas não éramos infelizes...
A vida começou a me bater muito cedo. Nunca dormi em um berço. Nunca tive uma boneca. Já peguei coisas no lixo para usar. Minha ingenuidade da infância foi roubada na luta pela sobrevivência. Vendia umbu ( fruta azeda,tradicionalmente nordestina) na feira com minha mãe e minha vó. Sofria bullying e apanhava na escola por ter olhos verdes. Isso me fez odiar a escola e repeti a segunda série por cinco anos.
Na adolescência, para ajudar em casa, trabalhava na cidade de empregada doméstica, babá e até como faxineira. Era escravizada pelo serviço e ganhava mal. Era pesado conciliar o trabalho com os estudos. Já cursava o Ensino Médio, mas não tinha sonhos, não alimentava metas na vida, não tinha perspectiva de um bom futuro. No fundo, no fundo, eu queria ser jornalista, mas eu escondia este desejo porque as pessoas não acreditavam em mim...
Em setembro de 2012, meu pai descobriu que estava com trombose. Foi uma luta dolorosa pela saúde dele. Era mais intensa porque em minha cidade nem hospital existe. Tínhamos que ir toda semana para outro estado, de ambulância. Às vezes, ele ficava internado apenas numa cadeira, gemendo de dor, e eu não podia fazer nada. Não basta ser pobre, tem que passar por este tipo de humilhação (mas eu não sou coitadinha, nenhum filho de Deus é "coitadinho").
Como aquele sofrimento era longo, exausto, ele sofria muito, mas eu tinha a esperança de que ele sairia daquela complicada situação. Mas, em dezembro do mesmo ano, ele se foi...Quase fui junto com ele. Ainda hoje, eu não acredito que ele partiu... Meu pai sofreu tanto na vida, e seus últimos dias foram insuportáveis, não precisava tudo aquilo... Como eu não me permiti ser enterrada junto com ele, precisava de algum amparo para não perder o sentido da vida.
Foi então que resolvi lutar pelo maior sonho que tenho, o qual estava enterrado há muito tempo lá no cerne da minha vida. Havia até esquecido que ele existia dentro de mim, porque as pessoas diziam que eu não iria realizá-lo. Decidi ir embora da minha cidade. Afinal de contas, eu não tinha emprego, nem boa expectativa de futuro...
Tomei a decisão de deixar minha terra para vim atrás do meu futuro! Era quarta-feira. Noite do dia 20 de fevereiro de 2013. De ônibus, eu deixei minha mãe e meus irmãos, para vim buscar meu sonho. A saudade de casa e do meu pai eu trazia comigo...
Cheguei ao Rio de Janeiro com a cara e a coragem de vencer na vida. Sem nenhum parente, precisava começar do zero e não ser atingida pela violência da cidade grande. Fui morar num pensionato administrado por freiras, com mais de 100 jovens, todas estudantes. Consegui emprego e passei no vestibular de jornalismo na segunda melhor universidade privada do estado do Rio de Janeiro. Quem diria que eu chegaria até aqui, não é mesmo?
Minha escolha mudou minha história e me deu novo destino. Como a escolha faz a diferença! Estou compartilhando isso com vocês para dizer que NADA É IMPOSSÍVEL. Se deu certo para mim, então pode dar certo para qualquer pessoa. Tudo tem um tempo determinado por Deus.
Vale a pena investir nos sonhos. Meu maior sonho na terra me trouxe até aqui. Fui estrategista e criei oportunidades, não fiquei esperando as coisas caírem do céu. Não sou o pedreiro que se tornou Advogado, mas sou a faxineira, negra, pobre e nordestina que em poucos dias se tornará Jornalista.
Não sei como será meu futuro. Ele está nas mãos de Deus. Como sou protagonista da minha própria história, escolhi vencer pelo caminho da educação, com honestidade, sem puxar o tapete de quem quer que seja, sendo feliz e realizando minhas tarefas com amor. Meu nome é SUPERAÇÃO e a minha trajetória até aqui já pode ser considerada um SUCESSO!!!"

Jill Muricy

COTIDIANO: RECLAMAÇÕES CONTRA A EMBASA

Bom dia neto, venho através desse E-mail fazer um apelo para a Embasa dar uma posição sobre o dia que vamos ter água no brisas, pois há dias não cai água na minha rua, ja liguei para reclamar e eles não dão uma posição, falta água até para os afazeres domésticos da casa, limpeza etc até mesmo para cozinhar, espero obter uma resposta, obrigada! (Silvana).


Maravilha Notícias

SAÚDE: SINDICATO DO PRODUTOR RURAL EM PARCERIA COM PREFEITURA DE ANDORINHA LEVA SAÚDE AO HOMEM E MULHER DO CAMPO


O sistema FAEB/SENAR, a Sociedade Brasileira de Urologia e o Sindicato do Produtor Rural de Senhor do Bonfim em parceria com a prefeitura de Andorinha, efetuaram no dia 22/10/16 ações do programa Saúde do Homem e Saúde da Mulher do campo, onde foram ofertados 200 exames para próstata e 100 exames preventivos Papanicolau.

Os trabalhos foram dirigidos pelos urologistas Dr. Murilo e Dr. José Roberto, aos quais agradecemos pela agilidade, presteza e dedicação. Estendemos nossos agradecimentos à Coordenadora do SENAR na pessoa de Jaqueline Érrico, à Secretaria de Agricultura nas pessoas dos senhores Valtônio e Fabrício, Secretaria de Saúde às pessoas dos Senhores. Pablo Campos, Gerson e Sara, a Secretaria de Ação Social na pessoa de Delmaci Guimarães à Secretaria de Administração na pessoa da Srª Auzeneide Nunes e equipe e aos clientes atendidos.


Atenciosamente,
Ivo Alberto Alves Santiago (Presidente do Sindicato)
Rossimar Souza (Secretaria do Sindicato)
Vanubia Jiquiel (Colaboradora)