quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

CULTURA: JUIZ SANFONEIRO RETOMA CARREIRA E LANÇA CLUBE DA SANFONA


Ednaldo Fonsêca, o Juiz Sanfoneiro, como ficou conhecido após uma entrevista no Programa do Jô Soares, retoma a carreira como cantor, compositor e sanfoneiro, lançando o seu 4º CD e o revolucionário projeto Clube da Sanfona, que tem como um dos objetivos resgatar a história e a prática da sanfona de 8 baixos, a famosa “pé-de-bode”, que ficou conhecida nacionalmente pelas mãos do músico Januário, pai de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião.

Seguindo uma tradição o Juiz Sanfoneiro explicou que sempre que lança um CD, o mesmo é doado a uma instituição filantrópica que vende e reverte a renda em ações sociais. Desta vez a instituição escolhida foi cada uma das paróquias religiosas de Petrolina, Sertão pernambucano. “O CD Dançando Xote tem um ‘quê’ especial, eu musiquei a oração ‘O Terço do Poder de Deus’ e convidei o Padre Malan para gravar junto comigo, essa oração que é muito bela e forte”, explicou acrescentando ainda que o CD tem música autoral, a exemplo de “Vida sem Vida”, algumas regravações e participações especiais de artistas importantes, como Joquinha Gonzaga e Jorge de Altinho.

Sobre o Clube da Sanfona, o Juiz Sanfoneiro revela que pretende inaugurar uma escola de música, com ênfase no aprendizado da sanfona de 8 baixos, pois está sendo esquecido dito instrumento, não só pela dificuldade do seu manejo, como também pela pouca divulgação de que tal instrumento foi o precursor do forró no Nordeste.

Igualmente, a escola de música também cuidará em levar o aprendizado aos interessados no manejo da sanfona de teclas (acordeon), de 80 ou 120 baixos.


Para isso, já estão sendo mantidos contatos com nomes nacionalmente conhecidos, como Genaro do Acordeon, Verônica do acordeon e Luizinho Calixto (8 baixos) para transmitirem as técnicas e práticas aos alunos, cujo número já é surpreendentemente elevado, dentre eles, profissionais liberais, médicos, empresários, universitários, adolescentes e alguns já acordeonistas, inclusive do sexo feminino.

Além da escola, haverá oficina para consertos e amplificações desses instrumentos, além da comercialização “para facilitar a aquisição do instrumento e movimentar esse mercado que anda esquecido”, comentou Ednaldo Fonsêca, cheio de entusiasmo com o novo projeto.

Clube da Sanfona

O Clube da Sanfona vai funcionar na estrada da Tapera em Petrolina e vai servir a toda a região, numa área muito agradável, com restaurante de comidas típicas nordestinas, com local para shows, com área reservada para crianças, estacionamento privativo, além da majestosa visão do Rio São Francisco.

Aos domingos, das dez ao meio dia, o Juiz Sanfoneiro, que também é radialista, apresentará programa ao vivo, com entrevistas, apresentações de artistas regionais, concursos de danças de forró, informações sobre o mundo artístico do segmento do forró, contando com o apoio da rede rádios que será formada através da Rádio Clube da Sanfona (rádio web), que já está funcionando em caráter experimental, desde de abril, podendo ser acessada através do endereçowww.radioclubedasanfona.com.br, como também através do aplicativo celular “clube sanfona”.

Acrescenta o Juiz Sanfoneiro, que “também teremos a TV CLUBE DA SANFONA, com sinal em HD, brevemente, simultaneamente com o áudio da rádio web, para lançarmos bem longe os traços da nossa cultura musical, almejando que já seja revelado o slogan de que já somos a capital nacional da fruticultura irrigada, e seremos também a capital da cultura do forró.”

Por Lidiane Souza
Ascom Juiz Sanfoneiro